Lula deixa hospital e segue a São Bernardo para descansar

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu alta e deixou o Hospital Português, em Recife, onde havia sido internado com uma crise de hipertensão nas primeiras horas desta quinta-feira. Segundo a Agência Brasil, o presidente deve ir para São Bernardo do Campo (SP), onde descansará na companhia de familiares até domingo.

BBC Brasil |

Sua agenda de compromissos foi cancelada até segunda-feira.

Por causa do episódio, Lula cancelou sua viagem a Davos, na Suíça, onde participaria do Fórum Econômico Mundial e receberia o prêmio de Estadista Global.

Lula passou mal por volta da 0h30 quando já estava a bordo de seu avião, prestes para embarcar para a Suíça, e seu médico, Cléber Ferreira, recomendou a internação na capital pernambucana.

Segundo Ferreira, o presidente foi submetido a uma série de exames e, após receber medicação, sua pressão voltou ao normal.

De acordo com a assessoria de imprensa da Presidência, Lula já estava "cansado e indisposto" durante os compromissos de sua agenda no Recife, que incluíram a inauguração de uma unidade de pronto-atendimento na periferia da cidade e um jantar com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

O presidente foi acompanhado pela ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Ela desistiu de voltar a Brasília após a internação e o visitou no hospital.

O ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, informou que Lula será representado em Davos pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

Davos

Em Davos, os organizadores do Fórum Econômico Mundial ainda estão decidindo como reagir à notícia da internação de Lula.

O presidente passou mal quando na Suíça ainda eram cerca de 3h30 desta quinta-feira, por isso os seus anfitriões foram pegos de surpresa pela notícia da emergência.

Ele receberia, das mãos do ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan, o prêmio Estadista Global, que marca os 40 anos da instituição. O evento estava marcado para sexta-feira. Nesta quinta, Lula ficaria na capital suíça, Zurique.

A ida de Henrique Meirelles já estava prevista, já que ele participa de um evento para falar sobre o Brasil na sexta-feira.

Além desse compromisso, Lula só tinha previsto na agenda um encontro com o criador e presidente do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, e com a presidente da Confederação Suíça, Doris Leuthard.

A única vez que Lula foi ao Fórum de Davos, nos Alpes suíços, foi em 2003.

Recém-eleito e temido pela elite econômica, ele pediu na época que os países ricos "abrissem os olhos" para a ascensão dos emergentes no cenário mundial e promovessem o crescimento econômico com justiça social.

Ao outorgar o prêmio a Lula, Klaus Schwab disse que as iniciativas brasileiras de fomentar o crescimento e a equidade social são um "exemplo" para os formuladores de políticas públicas.

*Colaborou Pablo Uchoa, enviado especial da BBC Brasil a Zurique

    Leia tudo sobre: lula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG