Lula defenderá em Israel criação de Estado palestino, segundo porta-voz

Brasília, 11 mar (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmará na próxima segunda-feira, em Israel, sua posição a favor do diálogo com o Irã e da criação de um Estado palestino, informou hoje seu porta-voz, Marcelo Baumbach.

EFE |

Lula chegará no domingo à noite a Jerusalém, primeira escala de uma viagem que também inclui visita aos territórios palestinos e à Jordânia, e voltará a oferecer ajuda do Brasil para a busca da paz no Oriente Médio.

Nos três casos, serão as primeiras visitas oficiais de um governante brasileiro, e além de estarem focalizadas nos esforços pelo fim do conflito, servirão para buscar fórmulas que permitam fortalecer o comércio do país com a região.

O porta-voz declarou que a viagem de Lula coroará "o processo de aproximação com o Oriente Médio" iniciado pelo Brasil há mais de cinco anos com o objetivo de se transformar em "um agente" nas negociações para a pacificação da região.

Segundo Baumbach, Lula também expressará as críticas do Brasil à intenção de Israel de expandir seus assentamentos em Jerusalém Oriental, anunciada nesta quarta-feira e imediatamente condenada pela comunidade internacional.

Na segunda-feira, em Jerusalém, Lula se encontrará com o presidente israelense Shimon Peres, receberá políticos da oposição e personalidades da sociedade civil.

Ele também deverá participar de uma sessão especial do Parlamento e se reunir com o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.

Na terça-feira, Lula visitará o Museu do Holocausto, plantará uma árvore no Bosque de Jerusalém e conhecerá a Universidade Hebraica, para depois seguir rumo a Belém, onde será recebido pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

No dia seguinte, o presidente irá a Ramala, onde conhecerá uma escola que funciona com cooperação do Brasil, e colocará uma oferenda de flores no mausoléu de Yasser Arafat, em companhia de Abbas.

Em suas reuniões com o presidente da ANP, Lula aproveitará para discutir os preparativos para a primeira Conferência Econômica da Diáspora Palestina, que será realizada no Brasil em julho deste ano.

De Ramala, Lula viajará para Amã, onde na própria quarta-feira será recebido pelo rei da Jordânia, Abdullah II, a quem considera um "interlocutor privilegiado" no conflito do Oriente Médio, disse Baumbach.

Na quinta-feira, antes de retornar ao Brasil, Lula se reunirá com o primeiro-ministro jordaniano, Samir Rifai, e assistirá ao encerramento de um encontro de empresários de ambos os países.

O porta-voz explicou que Lula também tinha a intenção de fazer uma visita à cidade histórica de Petra, mas cancelou os planos por questões de agenda e segurança. EFE.

ed/id

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG