Brasília, 28 jan (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva considera encerrado o caso da concessão de refúgio político ao ex-ativista italiano Cesare Battisti, e não se pronunciará mais sobre a questão, informaram hoje fontes oficiais.

Lula também não se manifestará sobre a decisão da Itália de chamar para consultas seu embaixador em Brasília, Michele Valensise, em resposta à decisão do Brasil de não extraditar o membro do grupo Proletários Armados Pelo Comunismo (PAC), explicou o porta-voz da Presidência, Marcelo Baumbach.

Ele reiterou que a posição do Governo federal está expressada na nota divulgada na terça-feira passada pelo Ministério das Relações Exteriores, que considerou que a convocação do embaixador representa "um instrumento de decisão diplomática comum entre países".

O Governo também considerou que a retirada do diplomata não vai prejudicar as relações bilaterais.

A reação da Itália aconteceu após o pronunciamento a favor de Battisti por parte da Procuradoria Geral da República, que recomendou ao Supremo Tribunal Federal (STF) conceder o refúgio ao ativista. EFE edv/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.