Lula considera Madri a principal adversária do Rio para os Jogos-2016

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em visita a França, afirmou nesta terça-feira que vê Madri como o principal perigo para a candidatura olímpica do Rio de Janeiro para receber os Jogos de 2016.

AFP |

Lula disse que o prestígio e a influência da Família Real espanhola, comprometeida com o projeto Madri-2016, poderá ter grande influência em vários países latino-americanos por ocasião da votação decisiva de 2 de outubro em Copenhague.

"Acho que Madri é a maior dificuldade entre nossos adversários, porque a Família Real espanhola pode usar de seu encanto em vários países latino-americanos", afirmou Lula durante um encontro com jornalistas em Paris.

"Espero que os países latino-americanos votem em nós e também espero que os membros europeus façam a mesma coisa", enfatizou.

O rei espanhol Juan Carlos e sua esposa, a rainha Sofía, participarão a princípio no ato da capital dinamarquesa, durante o qual será eleita a sede olímpica de 2016, que, no caso do Rio ser escolhido, será um fato histórico para a América do Sul, que nunca recebeu o evento.

As outras candidatas, Chicago e Tóquio, também poderão ter reforçadas sua aspiração com a presença, respectivamente, de seu presidente, Barack Obama, e de seu primeiro-ministro, Taro Aso, ex-esportista olímpico de tiro.

Lula defendeu a necessidade de que os Jogos deixem sua tradicinal presença na Europa, Ásia e América do Norte para reforçar o crescimento econômico da América do Sul.

"O fato de que o Comitê Olímpico Internacional (COI) tenha aprovado os Jogos de Sydney, em 2000, e de Pequim, em 2008, mostra que os países em crescimento e que os Jogos não são apenas para os países ricos", acrescentou.

"Há 41 anos do (jogos do) México, agora é hora de outro país latino-americano organizá-los. Espero que os membros do COI votem com um espírito aberto e em alguém que nunca teve um evento tão importante antes".

Lula também defendeu o projeto do Rio recordando a posição do país na economia mundial. "Das dez principais potências econômicas, o Brasil é a única que ainda não recebeu os Jogos".

"Os Jogos podem servir para estimular não apenas o país, mas como todo o continente".

Apesar do aparente favoritismo do Rio nos últimos meses, Lula rejeita falar em vitória, embora reconheça que há fatores que beneficiam o Rio.

"Europa, Japão e Estados Unidos já tiveram os Jogos mais de uma vez. O Brasil está experimentando um processo de mudança. Recebemos os Jogos Pan-Americanos de 2007 e seremos sede do Mundial de 2014, por isso grande parte das infraestruturas já serão uma realidade".

"A transformação do país se conseguirmos os Jogos seria enorme. Respeito todos os competidores, mas acho que o Rio de Janeiro merece esta oportunidade".

Lula também comentou que a campanha pelo projeto olímpico é diferente de uma campanha política normal, já que se dirigir a alguns membros do COI não é a mesma coisa que se dirigir a milhões de brasileiros.

"Não se pode falar mal dos seus advesários e há três rodadas de votação para os Jogos. O mais importante é conseguir superar a primeira fae", explicou.

O presidente brasileiro também abordou outro tema atual do esporte brasileiro ao pedir ao ministro argentino da Saúde que dê garantias sobre a segurança ante a gripe suína aos jogadores do Cruzeiro, que na quarta-feira enfrentarão o Estudiantes na partida de ida da final da Copa Libertadores da América.

Lula manifestou preocupação pela incidência da doença na Argentina, onde até o momento foram confirmadas 60 mortes, o que faz do país o terceiro na lista de mortes provocadas pelo vírus A(H1N1).

Os jogadores do Cruzeiro expressaram o temor de jogar na Argentina contra o Estudiantes de La Plata pelo temor de infecção e manifestaram o sentimento à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para que a entidade comunicasse o problema à Conmebol.

"O ministro argentino da Saúde deve dar garantias de que se pode jogar em Buenos Aires ou em outra cidade argentina. O Cruzeiro tem razão em estar preocupado com a saúde de seus jogadores", afirmou Lula.

O primeiro jogo da final da Libertadores será disputado quarta-feira na Argentina e a partida de volta acontecerá em Belo Horizonte no dia 15 de julho.

pi/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG