Lula chega ao Irã em busca de acordo

Presidente deve propor troca de combustível. Mediação sobre programa nuclear é vista por potências como "a última chance"

AFP |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou na noite deste sábado ao Irã para fazer a mediação sobre o programa nuclear iraniano, apresentada pelas grandes potências como "a última chance" antes das novas sanções da ONU contra o país.

Reuters
Lula e comitiva são recebidos por ministro Manuchehr Mottaki no aeroporto de Teerã

Lula chegou com uma delegação de 30 pessoas para uma visita de dois dias e foi recebido no aeroporto de Teerã pelo chefe da diplomacia iraniana, Manuchehr Mottaki. Ele se reunirá no domingo pela manhã com o presidente Mahmoud Ahmadinejad e com o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei.

As possibilidades de êxito na mediação brasileira foram consideradas pequenas por Estados Unidos e Rússia, enquanto o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, renunciou no sábado à viagem a Teerã alegando falta de compromisso por parte do Irã em uma proposta com o objetivo de chegar a uma solução.

As grandes potências propuseram ao Irã que enviasse 70% de seu urânio levemente enriquecido para transformá-lo em combustível altamente enriquecido que o país precisa para seu reator de pesquisas.

Invocando um problema de "confiança", o Irã rejeitou a proposta e disse que prefere uma troca simultânea ou por etapas em pequenas quantidades, feita em seu território, o que foi rejeitado pelas grandes potências.

Críticas

Lula declarou também que não entende o ceticismo da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, sobre a possibilidade de o Irã mudar sua postura em relação ao seu programa nuclear através do diálogo. Na sexta-feira, Hillary Clinton reafirmou o ceticismo dos Estados Unidos quanto às chances de sucesso no diálogo com o o Irã.

Perguntando sobre a declaração de Hillary durante uma entrevista coletiva em Doha, o presidente brasileiro respondeu sem citar o nome da secretária de Estado americana. "Eu não sei com base no que as pessoas falam [isso]", disse Lula. "Não é porque o meu time não ganhou o jogo de ontem que ele não pode ganhar o jogo de amanhã", afirmou o presidente na entrevista concedida após o encontro com o emir do Catar, Hamad bin Khalifa Al Thani.

Leia também:

Com Irã, Brasil desafia política externa dos EUA

Vários interesses guiam diplomacia do Brasil no Irã

Lula busca apoio no Catar para possível acordo com Irã

    Leia tudo sobre: Irãacordo nuclearLulasanções

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG