O presidente Luiz Inácio Lula de Silva afirmou nesta quarta-feira, em Paris, depois de se reunir com seu colega francês Nicolas Sarkozy, na véspera da cúpula do G20 em Londres, que as decisões do G20 serão decisões políticas.

"As decisões do G20 serão decisões políticas", afirmou Lula em coletiva de imprensa com Sarkozy. "Há uma enorme expectativa sobre esta reunião. Não serão medidas fáceis se não tivermos a coragem de entender que as grandes decisões que devem ser tomadas serão decisões políticas", explicou.

O presidente brasileiro esclareceu ainda que não serão os tecnocratas que ficarão encarregados das grandes decisões.

"Não queremos assumir a responsabilidade de uma reunião fracassada. Vamos ter que restabelecer o crédito no mundo", acrescentou.

"Estamos de acordo com o fortalecimento das instituições financeiras multilaterais para conceder mais recursos aos países pobres.

Lula disse que tanto ele quanto Sarkozy estão de acordo quanto ao controle dos paraísos fiscais.

"É inadmissível que, em um planeta Terra com mais de um bilhão de pessoas vivendo abaixo do nível da pobreza, alguém se dê ao luxo de tirar dinheiro do setor produtivo para colocá-lo no setor especulativo".

O chefe de Estado brasileiro admitiu que esse tema enfrenta resistência no G20 e que será um assunto muito difícil de se tratar na cúpula desta quinta-feira.

js-it-gc/cn/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.