Lula adverte Irã sobre consequências de armas nucleares

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva advertiu o Irã nesta quarta-feira de que terá de arcar com as consequências se optar pela produção de armas nucleares. Lula realiza visita oficial ao Irã em maio. Vou lá conversar olho no olho com (Mahmoud) Ahmadinejad (presidente do Irã). Se ele disser que vai construir (armas nucleares) ele vai arcar com as consequências do seu gesto, disse Lula a jornalistas após participar em São Paulo de uma feira do setor siderúrgico.

Reuters |

O presidente brasileiro, que não detalhou quais seriam as consequências, voltou a defender o diálogo com a República Islâmica.

"O que eu acho grave é começar a punir antes de conversar", afirmou Lula, reiterando que o Brasil é contrário à produção de armas nucleares e que a proibição consta da Constituição brasileira.

Lula argumentou que não quer que se repita com o Irã o que aconteceu com o Iraque, que foi acusado de ter armas de destruição em massa "que ninguém mostrou para nós".

As declarações de Lula vêm depois de o presidente participar de uma cúpula sobre segurança nuclear em Washington, na qual o presidente norte-americano Barack Obama pressionou pela imposição de novas sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas ao Irã por conta do programa nuclear da República Islâmica. Mais de 40 países fizeram parte do encontro.

Potências ocidentais, como os EUA, afirmam que o programa nuclear iraniano é um disfarce para a busca por armas atômicas, o que Teerã nega.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG