Lula acerta venda de aviões e visita projetos sociais na Guatemala

Carlos Arrazola. Guatemala, 2 jun (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva concluiu hoje uma visita à Guatemala, na qual acertou com o chefe de Estado guatemalteco, Álvaro Colom, a venda de seis aviões e equipamentos de navegação aérea no valor de US$ 99 milhões para combater o crime organizado e o tráfico de drogas no país.

EFE |

Lula, que fez uma visita oficial de 24 horas à Guatemala, conheceu também de perto os programas de combate à pobreza que o Governo de Colom promove e que são inspirados nas políticas brasileiras.

Em entrevista coletiva, o presidente da Guatemala confirmou que, durante a reunião de trabalho que manteve na segunda com Lula, foi acertada a venda à Guatemala de seis aviões Super Tucano da Embraer e equipamentos de navegação aérea e radares por um valor de US$ 99 milhões.

"São seis aviões, o sistema de cômputo completo para a navegação aérea e os radares", acrescentou.

O presidente guatemalteco explicou que o empréstimo para o financiamento dos aviões e equipamentos de navegação aérea terá um prazo de 12 anos e uma taxa de juros "baixa", a qual não detalhou.

Segundo Colom, o processo de assinatura formal do acordo de compra, o empréstimo e a entrega das naves e equipamentos poderiam demorar até 18 meses.

As aeronaves e equipamentos brasileiros permitirão à Guatemala ter um melhor controle do espaço aéreo do país para combater o tráfico de drogas, crime organizado e outras ameaças como catástrofes naturais.

Na reunião de trabalho, Colom também pediu a Lula para pressionar as empresas brasileiras a participarem das próximas licitações de novas áreas para a prospecção e exploração de petróleo e gás, em terra e mar, em território guatemalteco.

Além disso, reiterou seu interesse de que empresas brasileiras participem, com o apoio do Governo federal, nos projetos hidrelétricos implementados para a mudança da matriz energética da Guatemala, incluindo a possibilidade de financiamento.

Por outro lado, Lula foi convidado pelo presidente guatemalteco e por sua esposa, Sandra Torres, para conhecer hoje os projetos promovidos pela Administração de Colom para diminuir os níveis de pobreza no país, problema que afeta 51% dos 13,3 milhões de guatemaltecos.

Esses projetos são inspirados em programas brasileiros similares.

Antes do almoço, Lula visitou com o casal presidencial uma "escola aberta", em Villa Nova, subúrbio do sudoeste da capital guatemalteca.

No local, onde centenas de crianças e jovens de baixa renda fazem cursos de capacitação em trabalhos artesanais e técnicos e se envolvem em projetos esportivos e culturais, Lula parabenizou Colom "por seus esforços" para combater a pobreza.

Diante de três mil jovens, Lula destacou a importância estratégica de fornecer à juventude recursos para conseguir seu desenvolvimento integral, o que, disse, dá origem a sociedades justas e solidárias.

O presidente brasileiro explicou que "na América Latina só Cuba dava atenção à juventude. Que bom que agora cada vez mais países da América Latina se preocupam com seus jovens".

As escolas abertas e os "refeitórios solidários" são dois projetos do programa de Coesão Social dirigido pela esposa do presidente guatemalteco, cujos objetivos são contribuir à redução dos níveis de pobreza.

Antes do almoço no refeitório solidário, Lula cumprimentou as cerca de 50 pessoas que entraram antes da chegada do presidente brasileiro, enquanto outras 400 precisaram esperar pelo fim da visita oficial.

Após o almoço solidário, Lula concluiu sua terceira visita oficial à Guatemala, e partiu em direção à Costa Rica, onde se reunirá com o presidente Óscar Arias.

Na segunda-feira, o presidente brasileiro iniciou em El Salvador uma curta viagem pela América Central, onde participou da posse do novo presidente desse país, Mauricio Funes. EFE ca/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG