Lugo vai a Washington pedir volta de Zelaya a Honduras na reunião da OEA

Assunção, 4 jul (EFE).- O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, viajou hoje a Washington para pedir na reunião da Organização dos Estados Americanos (OEA) a restituição do chefe de Estado de Honduras, Manuel Zelaya, destituído em um golpe militar.

EFE |

Lugo partiu rumo à capital americana às 10h40 (11h40 de Brasília) do aeroporto Silvio Pettirossi, nos arredores de Assunção, junto com o chanceler paraguaio, Héctor Lacognata, e o assessor presidencial na área internacional, Gustavo Codas.

O líder paraguaio disse ontem que ele e seus colegas do Cone Sul estão atentos ao que ocorre em Honduras, e não descartou uma viagem à América Central, de acordo com o que a OEA decidir hoje, após o ultimato de 72 horas - que termina hoje - dado às novas autoridades de Tegucigalpa para a restituição de Zelaya.

No encontro em Washington, os líderes e chanceleres dos 34 países-membros da OEA ouvirão o relatório sobre as gestões diplomáticas realizadas nos últimos dias pelo secretário-geral do organismo, José Miguel Insulza, que visitou Tegucigalpa na sexta-feira.

O Paraguai, através de um comunicado da Chancelaria, repudiou, em 28 de junho, a crise gerada em Honduras.

Lugo, cujo país está na Presidência semestral do Mercosul, indicou naquele mesmo dia que tanto seu país quanto os outros membros do bloco exigem "o respeito irrestrito aos direitos humanos da população hondurenha e às liberdades fundamentais, assim como dos membros do Governo legítimo da República".

Também disse que os membros desse bloco (também formado por Brasil, Argentina e Uruguai) instruíram suas respectivas Chancelarias para "articular medidas conjuntas que permitam a imediata restituição do presidente Zelaya em seu cargo" como "única alternativa aceitável para subsanar o conflito".

Zelaya foi detido e retirado pela força do país pelas Forças Armadas no domingo, dia em que tinha previsto realizar uma consulta popular que tinha convocado a fim de iniciar um processo para reformar a Constituição do país.

Horas depois, Roberto Micheletti, presidente do Congresso e do mesmo partido de Zelaya, foi designado para assumir a Presidência de Honduras durante os meses que restam do atual mandato presidencial, que terminará em 27 de janeiro de 2010. EFE rg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG