Presidente paraguaio recebeu alta do hospital Sírio Libanês na manhã deste sábado (30)

Presidente paraguaio, Fernando Lugo (D), participa de evento militar antes de fazer os exames de saúde no Brasil
EFE
Presidente paraguaio, Fernando Lugo (D), participa de evento militar antes de fazer os exames de saúde no Brasil
O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, retornou neste sábado (30) para Assunção depois e passar por exames nos últimos três dias no hospital Sírio Libanês , em São Paulo. Os exames confirmaram a remissão completa do câncer linfático tratado no ano passado. Mesmo assim, de acordo com o hospital, o presidente continuará fazendo tratamento de manutenção.

Lugo, que retornou a seu país na primeira hora deste sábado, após receber alta da instituição, disse em breves declarações à imprensa na saída do hospital, que deixava o Brasil feliz pelos médicos não terem encontrado vestígios da doença.

"Foram feitos novos exames para a avaliação de seu estado clínico que confirmaram a remissão completa da doença", informou neste sábado, por meio de comunicado em que confirmou a alta médica, o hospital Sírio Libanês.

De acordo com a nota, o chefe de Estado do Paraguai apenas seguirá sendo submetido a um "tratamento de manutenção".

Lugo, de 60 anos, se internou na noite de quinta-feira no hospital Sírio-Libanês para um controle de saúde depois de cancelar a viagem a Lima ,para a posse do novo líder do Peru, Ollanta Humala, devido a uma gripe.

O médico pessoal do presidente paraguaio, Jorge Querey, já havia antecipado na sexta-feira que as revisões completas a que foi submetido o governante demonstraram que está em "perfeitas condições" e sem nenhum "índice de reativação da doença".

Querey afirmou que o presidente recebeu uma série de remédios aplicados periodicamente para combater o câncer via intravenosa  para controlar uma eventual reação alérgica.

Os linfomas não-Hodgkin, um tipo de câncer que surge nos linfócitos, tiveram remissão completa, embora o líder paraguaio deva fazer controles a cada dois ou três meses.

"Nesses tipos de doenças não se pode falar em cura total antes de cinco a dez anos, mas sim de remissão dos linfomas e esse é o estado em que o presidente se encontra", afirmou.

Entre agosto e dezembro de 2010, Lugo já passou por seis sessões de quimioterapia. A maioria delas foi realizada no Sírio-Libanês, o mesmo hospital onde a presidente Dilma Rousseff tratou um câncer linfático, em 2009.

Lugo havia restringido suas atividades nesta semana devido a uma forte gripe que, segundo seus assessores, o obrigou a suspender por precaução a viagem ao Peru, onde participaria da posse do presidente Ollanta Humala.

(Com EFE e Reuters)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.