Lugo quer revisar dívida de US$ 13 bilhões com a Argentina

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, afirmou que seu governo quer revisar com a Argentina uma dívida de US$ 13 bilhões referente à construção da usina hidrelétrica binacional de Yacyretá.

Agência Ansa |

O anúncio foi feito poucos dias após o Paraguai ter decidido fazer o mesmo em relação aos US$ 20 bilhões que deve ao Brasil pela construção da usina de Itaipu.

Em um programa de televisão transmitido na noite desta quinta-feira, Lugo disse que, "se outros países estão fazendo [revisão de tratados e dívidas binacionais], como o Equador, por que não podemos também?".

"Vamos revisar não só com o Brasil, mas também a dívida de Yacyretá com a Argentina e outros", afirmou Lugo. Segundo o ex-bispo, o Paraguai precisa conhecer as origens e a composição de suas dívidas, a maior parte delas contraída durante os 61 anos em que o Partido Colorado governou o país.

Neste sentido, explicou que nos casos em que for comprovada a má gestão pública do dinheiro, o Paraguai reconhecerá sua culpa.

No Brasil, o presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara, deputado Marcondes Gadelha (PSB-PB), alertou sobre a necessidade de evitar que Lugo siga os passos do presidente equatoriano, Rafael Correa.

Recentemente, o equatoriano denunciou irregularidades na dívida externa de seu país e decidiu recorrer à Câmara de Comércio Internacional para suspender o pagamento de US$ 243 milhões que deve ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"Temos a impressão de que a atitude de Rafael Correa pode gerar um efeito dominó" na região, influenciando as decisões do Paraguai, declarou Gadelha à ANSA.

Ricardo Canese, um dos principais negociadores do Paraguai para a questão das hidrelétricas e integrante do Parlamento do Mercosul (Parlasul), explicou à ANSA que nada foi discutido ainda com a Argentina a respeito de Yacyretá, como já ocorreu com o Brasil em Itaipu.

"Estamos definindo as propostas básicas que serão apresentadas aos argentinos, embora a situação seja bastante parecida com a de Itaipu", comentou. Os tratados para a construção de Itaipu e Yacyretá foram assinados em 1973.

Durante a entrevista veiculada ontem, Lugo disse que, devido a juros acumulados, o Paraguai deve hoje à Eletrobras e ao Tesouro brasileiro, que investiram no projeto, cerca de US$ 20 bilhões, valor considerado ilegítimo por especialistas do país. A construção da usina custou US$ 2 bilhões.

No caso de Yacyretá, cujas despesas de construção chegaram a US$ 1,5 bilhão, a dívida acumulada é hoje de US$ 13 bilhões. Antes de negociar o pagamento com a Argentina, porém, Canese afirmou que o governo paraguaio ainda estuda critérios técnicos para apresentar sua proposta.

A revisão dos tratados de Itaipu e Yacyretá, por meio dos quais o Paraguai divide a energia elétrica gerada nas usinas com Brasil e Argentina, respectivamente, foi uma das principais promessas de campanha de Lugo, eleito presidente em abril.

    Leia tudo sobre: paraguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG