Assunção, 20 abr (EFE).- O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, prometeu hoje, durante o primeiro aniversário de seu histórico triunfo eleitoral, manter as exigências de melhores benefícios para seu país na hidroelétrica de Itaipu, dentro das negociações que acontecem atualmente com o Brasil.

"Não somos parceiros de 'segunda' do Brasil, somos parceiros e discutimos de igual para igual, com dignidade, sem pedir migalhas", afirmou.

Além disso, afirmou que vai seguir com seu "compromisso de combater a corrupção do país", após ordenar uma remodelação de seu gabinete.

"Cada Ministério, cada secretaria de Estado deve denunciar e extirpar o câncer da corrupção que nos traz a pobreza e a miséria", disse Lugo em um comício em San Lorenzo, próxima a Assunção.

O ato foi organizado pela Aliança Patriótica para a Mudança (APC), uma coalizão de ampla base ideológica liderada pelo Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), de centro-direita e segunda maior legenda do país, que levou o ex-bispo ao poder no pleito geral de 20 de abril passado.

Esse triunfo pôs fim a 61 anos ininterruptos de Governos do Partido Colorado.

Horas antes do comício, Lugo anunciou em entrevista coletiva mudanças nos ministérios da Educação; Justiça e Trabalho; Indústria e Comércio; e Agricultura e Pecuária, uma remodelação que seus colaboradores atribuíram a um relançamento de sua gestão oito meses após ter assumido o poder.

O aniversário da vitória eleitoral foi encoberto por uma nova denúncia de paternidade contra Lugo, uma semana depois de o líder reconhecer que é pai de uma criança que tem agora dois anos.

A nova denunciante é Benigna Leguizamón, de 27 anos, que assegurou hoje que o presidente paraguaio é pai do segundo de seus quatro filhos, nascido em 9 de setembro de 2002, em um povoado do departamento de San Pedro (centro), onde naquela época Lugo era bispo emérito. EFE rg/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.