Lugo insiste que medida da UE contra imigrantes irregulares é injusta

Assunção, 20 jun (EFE).- O presidente eleito do Paraguai, o ex-bispo Fernando Lugo, voltou a qualificar hoje de injusta a medida aprovada esta semana pelo Parlamento Europeu, de retorno dos imigrantes ilegais a seu país de origem.

EFE |

"Parece-nos injusto que os países europeus tenham tomado esta decisão, já que quando eles o necessitaram, os recebemos de braços abertos na América Latina, especialmente após suas guerras mundiais", disse Lugo durante sua primeira entrevista coletiva depois de retornar de uma viagem à Bolívia, Equador e Venezuela.

"Acho que este é o momento que a Europa poderia demonstrar seu reconhecimento, também recebendo, tanto latino-americanos como asiáticos e africanos, porque não somente para latino-americanos é esta resolução", disse.

Lugo, que assumirá o poder no dia 15 de agosto próximo, assinalou que resta aguardar a implementação dessa medida e observar que países vão aplicá-la, dizendo que só na Espanha vivem cerca de 50.000 paraguaios de forma irregular. EFE rg/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG