Assunção, 20 jun (EFE).- O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, e seus colaboradores anunciaram hoje que fortalecerão a coalizão que os levou ao Governo há dez meses, ao término de um seminário de duas jornadas realizado nos arredores de Assunção.

Essa determinação fez parte das conclusões adotadas por Lugo e seu Gabinete, assim como pelos principais referentes da Aliança Patriótica para a Mudança (APC).

O senador Carlos Filizzola, do minoritário Partido País Solidário, que faz parte da APC, disse em entrevista coletiva que decidiram impulsionar os trâmites para dotar de um regulamento e um estatuto essa coalizão de amplo espectro ideológico, que levou Lugo ao poder nas eleições gerais do dia 20 de abril de 2008.

A reunião aconteceu em um momento em que o Executivo recebe duras críticas por parte da oposição no Legislativo perante o reconhecimento de Lugo de encorajar um eventual plebiscito para submeter a critério da população a aceitação ou rejeição da gestão dos três poderes do Estado nos últimos dez meses.

Além disso, a Federação Nacional Camponesa, a maior do Paraguai, anunciou na quinta-feira passada um protesto e bloqueios de estradas em dez departamentos (estados) do país para, na próxima terça-feira, exigir do Governo respostas a suas demandas. EFE rg/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.