Lugo afirma que aniversariante Mercosul deve traçar novos rumos

Assunção, 26 mar (EFE).- O chefe de Estado do Paraguai, Fernando Lugo, cujo país exerce a Presidência semestral do Mercosul, afirmou hoje que o bloco deve realizar um balanço e traçar novos rumos para fomentar a plena integração entre seus Estados-membros, durante as celebrações pelo 18º aniversário de fundação do órgão.

EFE |

O Mercosul "chega a sua maioridade, e por isso oferece um momento oportuno para balanços e decisões sobre rumos a seguir após caminhar por uma longa travessia", disse Lugo em ato comemorativo realizado no Palácio de López, sede do Governo paraguaio.

O presidente considerou ainda que "talvez seja a hora de questionar por que no Mercosul ainda não foi dada até o momento uma alternativa capaz de assegurar níveis de compromisso e de convicção indispensáveis para o fiel cumprimento de todos os acordos".

O Tratado de Assunção, que formalizou a criação do Mercosul, foi assinado em 26 de março de 1991 pelos então presidentes Fernando Collor de Mello, Carlos Menem (Argentina), Andrés Rodríguez (Paraguai) e Luis Alberto Lacalle (Uruguai).

Os líderes da época tinham definido a constituição de um mercado comum para até 31 de dezembro de 1994, propósito que segue sem ser alcançado 15 anos depois.

Nesse sentido, Lugo considerou que os membros do bloco deveriam reconhecer "com toda a honestidade" que têm pela frente dificuldades para sincronizar suas economias.

"Herdamos uma agenda econômica com moldes neoliberais, e devemos voltar a discuti-la. Mas também não houve o avanço necessário para se promover a sinergia entre nossas economias, para que ficássemos mais protegidos em conjunturas tensas, como a atual", completou.

Por outra parte, o presidente paraguaio destacou que está latente "o desafio de se encontrar um nome que venha a expressar a aspiração integracionista plena dos povos" integrantes do bloco, como alternativa à denominação de Mercado Comum do Sul que explica a sigla Mercosul.

Lugo ratificou que seu país promoverá neste semestre "a dimensão social, humana e cultural da integração", algo que "ficou significativamente relegado" no bloco, que têm como membros plenos Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai e, como associados, Bolívia e Chile.

A Venezuela está em processo de adesão ao bloco como membro pleno, mas aguarda sinal verde por parte dos Congressos de Brasil e Paraguai para oficializar seu ingresso.

Lugo avaliou que devem ser criadas "condições para se usar efetivamente as vias e os canais de participação já existentes e gerar novos espaços e instrumentos institucionais regionais de participação dos cidadãos".

O presidente da Associação Rural do Paraguai (ARP), patronal dos criadores de gado do país, Néstor Núñez, analisou parte das afirmações do chefe de Estado de seu país e disse à Agência Efe após o ato de hoje que "o Mercosul, desde sua criação, possui erros".

A respeito, reafirmou que "só se levou em conta o âmbito político e econômico em nível governamental, ficando para trás o setor privado, as corporações".

"Queremos chegar a algo como a União Europeia, que, apesar de ter uma imensa variedade de culturas, superou barreiras e obteve uma integração total entre seus associados", completou.

Já o presidente da União Industrial Paraguaia (UIP), Gustavo Volpe, declarou que Lugo deveria "apostar necessariamente em suas reivindicações" para que no Mercosul não surjam mais "impedimentos tarifários de sempre", que impedem a exportação de produtos industrializados.

O vice-ministro de Economia e Integração paraguaio, Óscar Rodríguez Campuzano, citou como temas da agenda da atual Presidência paraguaia do Mercosul o início das atividades do Instituto Social, assim como o impulso de projetos previamente discutidos sobre uma maior integração energética e produtiva.

O Instituto Social tem como principal objetivo fomentar o cumprimento das metas traçadas no programa de Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, e fixadas pela ONU.

Lugo deve viajar amanhã ao Uruguai, onde está sediada a maioria das dependências do Mercosul, para participar de uma série de atividades e fazer um discurso alusivo ao aniversário do bloco. EFE rg/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG