Lugo adverte que pode convocar consulta popular para resolver crise no Senado

Assunção, 28 ago (EFE).- O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, advertiu que poderia convocar uma consulta popular perante a crise gerada no Senado por causa da questionada posse de seu antecessor, Nicanor Duarte, como senador.

EFE |

Lugo, que assumiu a Presidência no dia 15 de agosto, afirmou em um programa de televisão, exibido na noite de quarta-feira, que essa possibilidade será considerada quando "houver polarizações irreconciliáveis que manchem o processo e não permitam a governabilidade".

"Suponhamos que este Congresso passe dois, três meses sem funcionar. Perguntarei aos cidadãos: 'Este é o Congresso que vocês elegeram? É o comportamento que nós paraguaios merecemos, um Congresso que está sendo pago e não funciona?'", declarou Lugo.

O Congresso paraguaio entrou em interinidade em 1º de julho, mas o Senado está imerso em um enfrentamento de posições sobre assuntos como a controvertida incorporação de Duarte como senador eleito no pleito de 20 de abril.

Os ex-presidentes paraguaios eleitos nas urnas são senadores vitalícios, mas Duarte decidiu se candidatar mesmo assim nas eleições pelo Partido Colorado, o que causou uma polêmica entre seus seguidores e detratores.

Duarte prestou juramento anteontem perante o presidente do Senado, Enrique González Quintana, da União Nacional de Cidadãos Éticos (Unace), terceira força política do país e liderada pelo general reformado Lino Oviedo.

Esse ato, respaldado por uma minoria de legisladores afins a Oviedo e ao ex-chefe de Estado, foi invalidado horas depois pela maioria, que ratificou na cadeira o substituto de Duarte, Jorge Céspedes.

Perguntado sobre se poderia realizar o que outros presidentes sul-americanos fizeram recentemente, Lugo respondeu: "Sim, é possível", mas não disse se seria um plebiscito ou um referendo. EFE lb/wr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG