Cannes (França), 22 mai (EFE).- A cineasta brasileira Lúcia Murat, junto com outras atrizes, diretoras e produtoras, encerrou hoje, no Pavilhão dos Cinemas do Sul, uma série de atividades visando a divulgação de filmes sul-americanos e africanos no Festival de Cannes.

Os encontros, chamados de "Parcours de Femmes" (Percursos de Mulheres, em tradução livre), que terminaram hoje, contaram com o apoio do delegado geral do Festival, Thierry Frémaux, e da diretora tunisiana Moufida Tlatli.

Vinte e duas profissionais do cinema foram convidadas para participar desse pavilhão, que durante todo o festival ofereceu um espaço de promoção, trabalho e difusão de obras cinematografias sul-americanas e africanas.

Hoje, as profissionais que participaram desse pavilhão foram recebidas no famoso tapete vermelho de Cannes para assistir à estréia de um dos três filmes franceses em competição pela Palma de Ouro, "La Frontière de l'aube", do diretor francês Philippe Garrel.

Durantes os encontros, as atrizes e produtoras convidadas assistiram e participaram, durante três dias, de diferentes encontros e mesas-redondas.

A maioria das mulheres que participaram do "Parcours de Femmes" é oriunda, além do Brasil, de Costa Rica, Líbano, Irã, Malásia, Macedônia e Iraque.

O "Pavilhão Cinemas do Sul" recebeu incentivos, sobretudo, do Ministério de Assuntos Exteriores da França e de outros países europeus.

O 61º Festival de Cannes começou em 14 de maio e terminará no próximo domingo, com a entrega da Palma de Ouro. EFE lg/rr/fr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.