Louis Vuitton tenta impedir campanha de doação para vítimas em Darfur, diz ativista

SÃO PAULO ¿ A grife francesa Louis Vuitton tentou impedir o prosseguimento da campanha ¿Simple Living¿, que procura divulgar o genocídio em Darfur e arrecadar doações para a organização não-governamental ¿Divest for Darfur¿. A denúncia foi feita pela designer dinamarquesa Nadia Plesner.

Redação |

A Louis Vuitton quer que eu pare a campanha pró-Darfur, afirmou Nadia, estudante de 26 anos em Amsterdam, na Holanda. Segundo o site da Divest for Darfur, o objetivo da campanha é incentivar as pessoas a deixarem de investir em supérfluos para doarem para as vítimas em Darfur.

Na carta enviada à artista no último dia 13 de fevereiro pela diretora de Propriedade Intelectual da grife, Nathalie Moullé-Berteaux, a Louis Vuitton pede a retirada da campanha. A marca alega que as ilustrações das camisetas e pôsteres de Nadia infringem os direitos de propriedade intelectual do diretor artístico da marca, Marc Jacob, e da artista japonesa Takashi Murakami.

A estudante, em resposta à carta da grife, defende que a bolsa que aparece na ilustração não é uma bolsa da marca. O nome Louis Vuitton não aparece em nenhum momento, argumenta. A artista afirma que não irá retirar as peças por defender seu direito artístico de se expressar livremente.

Leia também:

Saiba mais sobre: Darfur

    Leia tudo sobre: darfur

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG