O controvertido ativista muçulmano negro Louis Farrakhan classificou neste domingo o presidente eleito Barack Obama de líder extraordinário, mas advertiu que os Estados Unidos permanecem divididos e polarizados.

Farrakhan, de 75 anos, disse que a candidatura presidencial de Obama entusiasmou o país como não se via desde que Robert Kennedy se apresentou à Casa Branca em 1968, e que foi inspirada pela "unidade de espírito" que se viu entre os eleitores, especialmente na noite da eleição em Chicago.

Mas o líder da Nação do Islã americano também advertiu que o presidente eleito enfrenta o desafio de tomar as rédeas do país num dos momentos mais turbulentos da história dos Estados Unidos.

str/ddl/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.