Londres vendeu aos EUA parte em fábrica de armas nucleares, diz jornal

Londres, 20 dez (EFE).- O Governo britânico vendeu em segredo a uma empresa americana a parte que tinha na unidade de produção de armas nucleares de Aldermaston, informa hoje o jornal The Independent.

EFE |

O Governo do primeiro-ministro Gordon Brown decidiu vender a parte das ações do Atomic Weapons Establishment (AWE) ainda em seu poder à Jacobs Engineering Group, uma companhia californiana que já trabalhava para outra usina nuclear no Reino Unido, a de Berkshire.

Fontes da oposição conservadora e liberal-democrata expressaram sua preocupação com a possibilidade de que o Executivo vendesse essa participação a preço de saldo, devido à necessidade de arrecadar dinheiro para o Tesouro, e acusou o Governo de ter escondido o fato do Parlamento.

Também manifestaram sua irritação com o fato de que o Reino Unido tenha perdido o controle direto da fábrica onde são produzidas e mantidas as ogivas nucleares do arsenal britânico.

"O AWE é crucial para a manutenção da força de dissuasão britânica e é surpreendente que não tenha sido anunciado ao Parlamento a decisão de aumentar a participação dos EUA na companhia", disse um responsável do Partido Conservador.

O deputado trabalhista Jeremy Corbin qualificou o ocorrido de "surpreendente" e acrescentou: "é incrível que algo tão sério como o desenvolvimento das armas nucleares seja privatizado e encomendado a uma empresa americana".

O Ministério da Defesa britânico afirma, no entanto, que manteve uma "participação especial" no AWE que lhe permitirá intervir e despedir aos operadores, se fosse necessário.

Segundo um porta-voz do ministério, o acordo assinado com a companhia americana protege a força de dissuasão independente do Reino Unido e garante os interesses estratégicos do país. EFE jr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG