Londres pede que Junta Militar abra o país para ajuda humanitária

Londres, 7 mai (EFE).- A Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) deveria abrir mais o país para a ajuda humanitária para as vítimas do ciclone Nargis, afirmou hoje o secretário de Estado de Assuntos Exteriores britânico, lorde Malloch Brown.

EFE |

Em um comparecimento à Comissão de Assuntos Exteriores da Câmara dos Comuns, Brown afirmou que as autoridades birmanesas "devem mostrar uma maior vontade" para permitir que as equipes de resgate internacionais distribuam ajuda.

"Neste momento, inclusive não foram concedidos vistos às primeiras equipes de avaliação da ONU para entrar no país", declarou o líder governamental.

Além disso, ele expressou suas dúvidas de que a ajuda humanitária possa alcançar, "sem alguma presença internacional", os mais necessitados no país asiático.

O Governo do Reino Unido anunciou nesta terça a concessão de cinco milhões de libras (6,35 milhões de euros) em ajuda imediata para os desabrigados pelo ciclone tropical "Nargis", que deixou mais de 22.500 mortos e 41.000 desaparecidos em Mianmar.

A ONU culpou a Junta Militar pelo grande número de pessoas mortas por não terem prevenido a população do perigo que representava o ciclone que atingiu Mianmar no sábado passado.

O problema se agrava pelo fato de a Junta Militar manter o país isolado há décadas, o que torna difícil que a ONU ou outras entidades internacionais possam saber realmente o que acontece nesta localidade. EFE pa/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG