O governo britânico iniciou uma investigação pela participação de várias companhias britânicas no envio de lixo doméstico ao Brasil, descoberto em contêineres em diferentes portos do país, publicou a imprensa britânica neste sábado.

O secretário do Meio Ambiente, Hilary Benn, disse ao jornal The Times que ordenou uma investigação depois das informações da imprensa sobre o envio destes contêineres, com toneladas de lixo doméstico como seringas, preservativos usados e bolsas de sangue, que chegaram nos últimos meses a diferentes portos do Brasil.

Benn antecipou que pode começar a estudar alteração nas regras para os transportes de dejetos.

O envio de plástico, papel e outros materiais a outros países com o objetivo de entrar em um processo de reciclagem é algo normal. No entanto, a Convenção da Basiléia de 1992 sobre o controle do movimento transfronteiriço de dejetos perigosos e de sua eliminação proíbe a transferência de dejetos tóxicos entre países. Ela foi adotada com o objetivo de proibir em particular o envio de lixo perigoso de países industrializados a outros países.

Sexta-feira, agentes da Direção Fiscal e da polícia marítima brasileira encontraram no porto de Santos, litoral de São Paulo, 25 contêineres com 390 toneladas de lixo, com milhares de DVD, bolsas recicláveis, galões de produtos químicos, partes de aparelhos eletrônicos, brinquedos velhos e frascos de alimentos.

Dia antes, as autoridades já haviam localizado outros 16 contêineres de lixo doméstico britânico. No total, o lixo acumulado pesa 680 toneladas.

tha/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.