Londres, 2 jun (EFE).- As tropas britânicas mataram o mulá Mansur, considerado um dos líderes talibãs mais perigosos do sul do Afeganistão e responsável por vários ataques suicidas na província de Helmand, informou hoje o Ministério da Defesa britânico.

O ministério afirmou que Mansur morreu em consequência de um ataque de helicópteros Apache na manhã da segunda-feira em uma área não habitada próxima à localidade de Nahr-e Saraj, próxima à cidade de Lashkar Gah, capital da província de Helmand.

"O mulá Mansur era o responsável das tentativas dos insurgentes de assassinar e ferir tropas britânicas e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no Afeganistão, e sua presença levava a miséria aos civis afegãos inocentes", disse o ministro da Defesa britânico, John Hutton.

Hutton destacou que esta ação militar representa "um duro golpe para os talibãs", e afirmou que "as forças britânicas continuarão trabalhando com seus parceiros internacionais para melhorar a segurança em Helmand e prevenir a "exportação" de terrorismo do Afeganistão para o Reino Unido".

O tenente-coronel Nick Richardson, porta-voz das forças britânicas em Helmand, referiu-se ao mulá "como um dos homens mais perigosos da província" e disse que ele era responsável por fornecer e fabricar bombas para cometer atentados.

"Os atentados que ele ajudou a planejar e a executar provavelmente mataram ou feriram centenas de pessoas, na maioria civis afegãos ou policiais", disse Richardson.

Mansur tinha sucedido na direção dos talibãs em Helmand seu irmão, o mulá Dadullah, um temido comandante talibã que morreu em 2007 em um combate contra as forças estrangeiras. EFE fpb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.