Londres condena protestos em frente a embaixada em Buenos Aires

Manifestantes atacaram pedras e coquetéis molotov no aniversário de 30 anos da Guerra das Malvinas; Reino Unido pediu segurança

iG São Paulo |

O Reino Unido condenou os violentos protestos em frente à sua embaixada em Buenos Aires, no qual manifestantes atiraram pedras e coquetéis molotov contra polícias no aniversário de 30 anos da Guerra das Malvinas , e pediu mais segurança.

Infográfico: Entenda a disputa entre Reino Unido e Argentina pelas Malvinas

AP
Manifestantes em Buenos Aires queimam efigie de príncipe William em protesto pelo aniversário de 30 anos da Guerra das Malvinas (2/4)
"Condenamos as ações violentas de uma minoria durante a manifestação ", destacou o Foreign Office. "Todos os países estão obrigados, pela Convenção de Viena, a proporcionar proteção adequada às sedes diplomáticas estrangeiras". "Esperamos que o governo argentino siga cumprindo com suas obrigações definidas na convenção e exercendo todo o peso da lei contra manifestantes que cometam atos delitivos".

O Foreign Office elogiou a "abnegação e o profissionalismo" da polícia argentina, que usou bombas de gás lacrimogêneo e jatos d'água contra os manifestante.

Na segunda-feira, grupos radicais enfrentaram a polícia em frente à embaixada britânica em Buenos Aires, coincidindo com o 30º aniversário do início da guerra entre Argentina e Reino Unido pela soberania das Ilhas Malvinas. Os incidentes ocorreram quando membros de organizações que participavam de uma manifestação de protesto contra o Reino Unido atiraram pedras e coquetéis molotov em direção às forças de segurança que faziam a segurança da embaixada britânica.

Uma forte ação policial repeliu a agressão desses grupos com jatos d'água, balas de borracha e gás lacrimogêneo. A imprensa local relatou que vários agentes ficaram feridos, embora fontes oficiais não tenham confirmado sequer danos materiais.

Conflito

A guerra começou com uma invasão argentina das Malvinas no dia 2 de abril de 1982 e desde o ano seguinte os britânicos controlam a região. Mas os argentinos dizem que o território pertencia à Espanha e foi herdado pelo país sul-americano com a sua independência.

A Argentina solicitou a abertura de negociações sobre a soberania das Ilhas Malvinas, mas o governo britânico diz que não há nada para se discutir, se não houver consentimento dos moradores.

nullO Reino Unido acusa a Argentina de tentar impor um bloqueio à população local, depois de proibir embarcações com a bandeira de Falklands em seus portos. A medida também foi adotada pelos demais países do Mercosul. Já os argentinos acusam os britânicos de militarizar o Atlântico Sul, depois que foi divulgado que um dos navios de guerra da Marinha britânica será enviado à região.

A derrota das forças argentinas no conflito contribuiu para o fim do regime militar liderado pelo general Leopoldo Galtieri, que foi preso acusado de "incompetência" na guerra. A premiê britânica na época, Margaret Thatcher, não participará de nenhum dos eventos desta segunda-feira, devido aos seus problemas de saúde.

*Com EFE e AFP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG