Londres adverte que o mais difícil está por vir no Afeganistão

Londres, 13 fev (EFE).- O Governo britânico advertiu hoje que o mais difícil está por vir na ofensiva que os aliados iniciaram hoje contra os talibãs no sul do Afeganistão.

EFE |

O general Gordon Messenger, responsável do Departamento de Comunicações Estratégicas, afirmou em entrevista coletiva que o início da operação Moshtarak "foi o melhor possível", mas que ainda é "a parte fácil" da ofensiva. Ele informou que o número de baixas entre os insurgentes é "relativamente baixo".

Em declarações no Ministério da Defesa, Messenger disse que os militares que participam da operação conseguiram consolidar suas posições no distrito de Nad Ali, na província de Helmand (Afeganistão).

"Não há complacência. Todo mundo entende que essa é a parte fácil. O difícil é a seguinte, a de tranqüilizar a opinião pública", declarou o general britânico. Ele ressaltou que o principal objetivo da maior ofensiva no Afeganistão desde a invasão em 2001 é "ganhar a lealdade da população local".

"Essa lealdade não se ganha em um dia, mas com o passar do tempo.

Não se pode fazer de uma maneira forçada", acrescentou.

O comando militar não pôde confirmar se houve baixas entre as forças britânicas desde o início da ofensiva, mas ressaltou que "no que se refere aos insurgentes, alguns morreram, mas em um número relativamente baixo".

O novo comandante das forças de coalizão no sul do Afeganistão, o general britânico Nick Carter, afirmou que a ofensiva surpreendeu as forças talibãs.

Helmand é a província onde atuam as forças britânicas, que já sofreram no Afeganistão um número maior de mortos (257) que na Guerra das Malvinas em 1982. EFE fpb/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG