Lockerbie recordou neste domingo o atentado aéreo contra o avião da companhia americana Pan Am, que em 21 de novembro de 1988 matou 270 pessoas, incluindo moradores desta cidade escocesa.

Um grupo de mais de 150 pessoas se reuniu no cemitério de Lockerbie para depositar flores e lembrar os 259 passageiros do vôo 103 entre Londres e Nova York, que morreram na explosão do aparelho, a 9.400 metros de altitude, e as onze vítimas fatais atingidas por destroços do avião no solo.

Os mortos no atentado também foram lembrados em Londres e na Universidade de Siracusa (estado de Nova York).

Nas igrejas de Drufesdale e Tundergarth, próximas a Lockerbie, foram realizadas missas às 19h00 local, na hora em que o Boeing explodiu.

Outro serviço religioso ocorreu no aeroporto londrino de Heathrow, de onde partiu o avião com 180 americanos a bordo, do mesmo modo que na Universidade de Siracusa, que perdeu 35 estudantes na tragédia.

A investigação realizada pelos Estados Unidos após o atentado concluiu que o ataque foi realizado pelos líbios Abdelbaset Ali Mohamed Al-Megrahi e Al-Amin Jalifa Fhimah, o que provocou uma série de sanções internacionais contra Trípoli.

Em 31 de janeiro de 2001, um tribunal extraordinário na Holanda absolveu Fhimah, mas condenou Al-Megrahi à prisão perpétua.

As sanções internacionais contra a Líbia foram suspensas em 1999 e eliminadas em 12 de setembro de 2003, após Trípoli reconhecer sua responsabilidade no atentado e firmar um acordo para indenizar as famílias das vítimas.

cyb/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.