Livro crítico a era Bush desperta polêmica nos EUA

Orlando Lizama. Washington, 25 set (EFE).- O ex-presidente americano George W.

EFE |

Bush jamais teria achado que os democratas, que o criticaram tanto durante seu Governo, sairiam em sua defesa após a publicação de um polêmico livro escrito por um dos redatores de seus discursos.

Orlando Lizama.

O livro "Speech-less: Tales of a White House Survivor" ("Sem discurso: histórias de um sobrevivente na Casa Branca", na tradução livre) foi escrito por Matt Latimer e saiu esta semana à venda nas livrarias dos Estados Unidos.

Latimer chegou cheio de idealismo à Casa Branca nos últimos meses do Governo Bush para se encarregar dos discursos do presidente.

Antes tinha sido o redator dos discursos do então secretário de Defesa Ronald Rumsfeld e pensava que seus sonhos se tornariam realidade trabalhando com Bush.

Mas não demorou a se desiludir perante o que descreve como um ambiente caótico, que compara com os que reinam nas populares séries de televisão "The Office" e "The West Wing" sobre o ambiente político de Washington.

Mas o que mais polêmica causou sobre suas revelações foram os comentários que atribui a Bush sobre seus adversários políticos, particularmente os democratas.

Sobre o agora presidente Barack Obama, então senador por Illinois, Bush teria dito que "este é um mundo perigoso" e que el "não está nem remotamente qualificado para controlá-lo".

Bush também não foi muito delicado, segundo Latimer, ao se referir à ex-primeira-dama Hillary Clinton, que então disputava a candidatura presidencial democrata com Obama.

Sobre a possibilidade que de Hillary chegasse à Presidência, Bush afirmou: "Esperam que pose seu traseiro gordo junto a essa escrivaninha" no Salão Oval da Casa Branca.

Nem sequer os membros de seu próprio partido, o republicano, se livraram de seus comentários, incluindo a ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, companheira de chapa de John McCain nas eleições presidenciais de novembro passado.

"Estou tentando lembrar se a conheço. Quem é? A governadora de Guam?", ironizou.

Latimer chegou à Casa Branca quando começavam a aparecer os primeiros sintomas da crise econômica que levou o país à recessão.

Segundo o escritor, os discursos sobre o tema eram concebidos com o objetivo de assegurar à população que existia um plano para enfrentar a crise e, ao mesmo tempo, dar o alertar para que o Congresso agisse rapidamente.

Esses discursos, assinala, eram tão complicados e redigidos tão cuidadosamente que dificilmente a população podia entendê-los.

"Não acho que tenhamos comunicado esse problema muito bem, porque era muito difícil comunicá-lo", assinala.

Mas quando se tratava de outros temas, os discursos eram excessivamente simplistas para que o presidente Bush não se cansasse.

"Nossa audiência passou a ser o presidente, não o país", conta Latimer em seu livro.

A situação chegou ao ponto em que "basicamente estávamos proporcionando informação para satisfazer o presidente", acrescenta.

Mas o presidente que abandonou a Casa Branca com um dos níveis mais baixos de popularidade na história política dos EUA recebeu o apoio até de seus detratores, que afirmam que Latimer revela confidências que não deveriam ser publicadas.

Para Paul Begala, estrategista político do Governo democrata de Bill Clinton, a publicação do livro constitui uma "traição à confiança" depositada nele.

Já Dana Perino, a última porta-voz do Governo Bush, minimizou a autoridade de Latimer ao assinalar que "quase ninguém na Casa Branca o conhecia".

Latimer defende sua obra e assegura ter escrito o livro para continuar uma tradição em um país onde muitas personalidades publicam obras reveladoras.

Em entrevista à rede de televisão "CNN", Latimer indicou que o objetivo do livro foi mostrar "o que está ruim em Washington agora".

"Não tenho remorso. Contei a verdade como a vi e quero que o povo dos EUA leia o livro e decida se estive ou não nessa sala", indicou em referência ao Salão Oval da Casa Branca. EFE ojl/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG