Livni diz que trégua em Gaza acabou e cobra atitude da Defesa

Jerusalém, 7 dez (EFE).- A chanceler de Israel, Tzipi Livni, deu hoje por morta a trégua em Gaza e pediu ao ministro da Defesa, Ehud Barak, que atue em vez de achar que o cessar-fogo com o Hamas continua vivo.

EFE |

"Não há cessar-fogo em Gaza. Quem chama isso de 'calma' não sabe o que está se passando por lá. Quem for responsável pela segurança deve atuar", disse Livni no início da reunião semanal do conselho de ministros no qual manteve um conflito verbal com Barak, informaram meios de comunicação locais.

A chefe da diplomacia israelense ressaltou que "em todo caso o acordo de cessar-fogo acabará em breve (no próximo dia 19) e não está sendo respeitado pela parte palestina".

"Atualmente, necessitamos de idéias frescas sobre se devemos atuar ou não", disse Livni em relação aos foguetes Qassam e às bombas lançados pelas milícias palestinas contra Israel nas últimas 48 horas.

O ministro da Defesa se defendeu com uma alusão à proximidade das eleições legislativas no país, em 10 de fevereiro, às quais Livni se apresenta à frente do Kadima, enquanto Barak lidera o Partido Trabalhista.

"Sei que este é um momento político delicado e sou consciente do sofrimento dos residentes (nas localidades israelenses alvos dos projéteis palestinos), mas a operação (militar) será inevitável e sou responsável por isso", argumentou.

Barak se disse a favor de contrabalançar "opiniões, responsabilidades e política" antes de tomar qualquer decisão sobre Gaza, controlada pelo movimento islâmico Hamas desde junho de 2007.

Por sua vez, o vice-primeiro-ministro israelense, Haim Ramon, afirmou que "só o ministro da Defesa acredita que há um cessar-fogo" e pediu "uma decisão estratégica" que ponha um fim no controle do Hamas sobre a faixa de Gaza porque representa uma "ameaça intolerável" para o Estado judeu. EFE ap/ab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG