Lista do primeiro-ministro é favorita nas eleições provinciais iraquianas

A lista do primeiro-ministro Nuri al-Maliki era neste domingo apontada como a favorita das eleições provinciais iraquianas na maior parte das regiões xiitas.

AFP |

De acordo com os primeiros resultados não oficiais estabelecidos pela AFP junto com os comitês eleitorais locais, a "Coalizão do Estado de Direito" de Maliki bate suas concorrentes em seis províncias xiitas do sul e em Bagdá, onde os primeiros números já são conhecidos. A lista do premier aparece em segundo lugar na província xiita de Kerbala.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, qualificou a votação de sábado de "importante passo" para "fazer avançar o processo que permitirá aos iraquianos assumirem seu próprio futuro".

Os primeiros resultados das eleições de sábado devem ser anunciados dentro de cinco dias, e os resultados definitivos daqui a várias semanas, declarou Staffan de Mistura, o representante da ONU no Iraque.

O nível de participação nas 14 das 18 províncias onde aconteceram as eleições chegou a 60%, contra 49,8% nas eleições anteriores, em janeiro de 2005.

A participação nas 11 regiões de maioria xiita não passou dos 60%, com exceção da província de Diwaniyah, onde chegou a 65%.

A comunidade sunita, que boicotou as eleições de 2005, participou em massa da votação de sábado: 70% votaram na província de Ninive (14% em 2005) e 61% em Salaheddin (15% em 2005). Na província de Al-Anbar, a participação gira em torno de 40%, contra menos de 1% há quatro anos.

O primeiro-ministro, que não era candidato, parece ter conseguido transformar estas eleições, que tinham valor de teste para a estabilização do país, em plebiscito para consolidar sua autoridade frente ao poderoso Conselho Superior Islâmico do Iraque (CSII) de Abdel Aziz Hakim e aos partidários do líder radical xiita Moqtada al-Sadr.

O CSII, que conta com o apoio do Irã, pode perder pelo menos seis das sete províncias que controla para o partido do primeiro-ministro.

Os simpatizantes de Sadr também podem perder para Maliki a única província que controlam, Missane.

Nas províncias sunitas, as grandes tribos estão de volta. O Partido Islâmico, apoiado pelos Irmãos Muçulmanos, foi derrotado por uma coalizão tribal na província de Al-Anbar. Em Ninive, os curdos dão lugar a uma lista tribal sunita.

Quase 15 milhões de iraquianos foram convocados às urnas para eleger seus vereadores, que designam em seguida os governadores de cada província e desempenham um papel importante na reconstrução.

Durante a campanha eleitoral, Maliki se apresentou como o homem que retirou o país do caos e que defendeu a unidade do território contra os separatistas curdos.

Quase um milhão de soldados e policiais foram mobilizados para as eleições de sábado, e nenhum incidente notável foi registrado.

Alguns incidentes menores foram constatados. "Houve problemas de organização e de logística. Também houve problemas ligados à segurança, mas nada sério", declarou o chefe da Comissão central eleitoral, Faraj al-Haydari.

sk/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG