Lista de possíveis vice-presidentes de Obama inclui vários ex-militares

Teresa Bouza Washington, 11 jun (EFE).- A relação de possíveis vice-presidentes de Barack Obama inclui vários ex-militares, que o poderiam ajudar a lidar com sua pouca experiência internacional e com a vantagem nesta área de seu rival republicano John McCain, um veterano de guerra.

EFE |

O comitê de campanha do candidato presidencial democrata confirmou hoje à Agência Efe que entre os cerca de 20 nomes que são citados como possíveis companheiros políticos de Obama há ex-militares, embora não os tenha divulgado.

A emissora "NBC" informou ontem que o general James Jones, um ex-comandante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), é uma das pessoas que são consideradas para o posto de "número dois".

Vários veículos de comunicação afirmaram hoje que Wesley Clark, um ex-comandante da Otan que não conseguiu a candidatura presidencial democrata em 2004, poderia ser outro dos "vice-presidenciáveis".

A pouca experiência de Obama, que tem apenas 46 anos e que assumiu seu posto como senador em janeiro de 2005, é um dos fatores que seus críticos destacam freqüentemente e algo que foi evidenciado durante todo o processo de primárias por sua rival Hillary Clinton.

A senadora afirmou que ela era a candidata melhor preparada para assumir o posto de comandante-em-chefe das forças armadas, que é ocupado pelo presidente dos Estados Unidos.

Durante sua campanha, lançou também um memorável anúncio televisivo que sugeria que Hillary contava com as credenciais necessárias para responder a uma ligação de emergência em plena madrugada.

"Faz sentido que escolha alguém com mais experiência, pois ele é jovem e não esteve no Exército", declarou à Efe James Auer, comandante reformado da Marinha e professor da Universidade de Vanderbilt (Tennessee).

Auer afirma que Obama poderia optar por algum militar reformado crítico da atual Administração, como o general Anthony Zinni.

O ex-chefe do Comando Central do Exército foi um dos que pediu a saída de Donald Rumsfeld do cargo de secretário da Defesa por seus "erros" na condução da Guerra do Iraque.

Caso escolha um ex-membro do Exército, Obama conseguiria fazer sombra à experiência militar de McCain, que foi piloto da Marinha e passou mais de cinco anos em um campo de prisioneiros do Vietnã, no qual foi torturado e inclusive tentou tirar sua própria vida.

Além de ex-militares, a secreta lista inclui também personalidades ativas na vida política americana e ex-altos funcionários de outras administrações.

Entre os que são citados freqüentemente como "favoritos" está o senador democrata da Virgínia Jim Webb, um ex-fuzileiro, herói condecorado da Guerra do Vietnã e ex-secretário da Marinha durante a Presidência de Ronald Reagan.

Bill Richardson, o governador do estado do Novo México e concorrente fracassado este ano à candidatura presidencial democrata, é outro dos nomes que aparece em todas as apostas nas quais também figura Hillary Clinton.

A estes nomes se junta o de Evan Bayh, que serviu nos comitês de serviços armados e inteligência do Senado, assim como o do também senador Joseph Biden, que preside o Comitê de Relações Exteriores do Senado.

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, é outro dos nomes que freqüentemente é citado.

Obama deu a responsabilidade de buscar um possível vice-presidente a uma equipe de três pessoas que inclui Caroline Kennedy, a única filha viva de John F. Kennedy, Eric Holder, ex-número dois do Departamento de Justiça, e Jim Johnson, ex-presidente da empresa hipotecária Fannie Mae.

Johnson está há alguns dias no centro de uma polêmica após o "The Wall Street Journal" publicar que recebeu empréstimos hipotecários vantajosos do Countrywide Financial, parceiro da Fannie Mae e um dos principais provedores das hipotecas de alto risco que causaram a atual crise imobiliária.

Obama lembrou ontem que ele não é alguém que tenha designado para ocupar um cargo em sua potencial Administração e afirmou que não planeja substituí-lo: "Jim Johnson tem um papel muito discreto, simplesmente obter informação para um potencial candidato vice-presidencial". EFE tb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG