O presidente de Guiné-Bissau, João Bernardo Vieira, morreu em um ataque a sua residência por parte de militares, confirmou à AFP uma fonte diplomática de Portugal, que condenou o crime e convocou uma reunião de urgência da Comunidade de Países da Língua Portuguesa (CPLP).

"A morte foi confirmada pela presidência guineana", declarou a fonte.

Um comunicado do ministério das Relações Exteriores de Portugal condena "com veemência" o assassinato de Vieira e convoca uma reunião da CPLP.

"Portugal lamenta profundamente a morte do presidente 'Nino' Vieira, vítima de um atentado nas últimas horas em Guiné-Bissau", afirma o comunicado.

O presidente Vieira foi assassinado por militares em represália ao atentado da noite de domingo que matou o comandante do Estado-Maior do Exército, o general Tagmeh Na Waieh.

Antiga potência colonial, Portugal preside atualmente a CPLP que tem oito países de língua portuguesa: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

alc/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.