Liga Árabe procura alternativas para o processo de paz

Por Lamine Ghanmi SIRTE, Líbia (Reuters) - Os Estados árabes precisam se preparar para a possibilidade de que as negociações de paz entre Israel e os palestinos venham a ser um fracasso total e devem pensar em alternativas, disse Amr Moussa, secretário-geral da Liga Árabe, neste sábado.

Reuters |

O conturbado processo de paz sofreu um retrocesso este mês, quando os palestinos disseram que as conversações indiretas com os israelenses só aconteceriam se Israel desistir de construir 1.600 novas casas em um assentamento perto de Jerusalém Oriental.

Aumentando ainda mais as dificuldades para uma retomada das negociações, dois soldados israelenses e um palestino foram mortos durante um combate na Faixa de Gaza, na sexta-feira, no confronto mais sangrento no enclave, em 14 meses.

Moussa não disse quais poderiam ser as alternativas para o processo de paz, mas uma opção seria ressuscitar uma iniciativa de oito anos atrás, sob a qual os Estados árabes normalizariam suas relações com o Estado judeu em troca de concessões israelenses em relação ao território ocupado.

Falando aos lideres árabes durante a reunião da Liga Árabe, na cidade libanesa de Sirte, Moussa disse que há necessidade de uma nova abordagem.

"Precisamos estudar a possibilidade que de que o processo de paz seja um fracasso total", disse Moussa. "Está na hora de encarar Israel. Precisamos ter planos alternativos, porque a situação chegou a um momento crucial."

"O processo de paz entrou numa nova fase, talvez seja a sua última fase. Temos aceitado os esforços dos mediadores. Temos aceitado as negociações de paz abertas."

"Mas isso resultou em uma perda de tempo e nós não conseguimos nada e permitimos que Israel praticasse a sua política de assentamento por 20 anos", ele disse.

ONU APOIA CONVERSAÇÕES

A Liga Árabe concordou neste mês que os palestinos conduzam negociações de aproximação com Israel e sua opinião em relação a essas negociações pode ser decisiva.

Ban Ki-Moon, secretário-geral da ONU disse durante o encontro que ele havia encorajado os lideres árabes a apoiar as tentativas de aproximação, apesar dos obstáculos.

"Não existe alternativa para negociações sobre uma solução envolvendo dois Estados. Sem isso, nos arriscamos a cair no desespero e nos arriscamos a ver mais violência como a que tivemos recentemente", disse ele a jornalistas.

Mas os delegados palestinos disseram que as ações israelenses haviam de fato paralisado as negociações.

A alternativa para as negociações estagnadas que mais agrada aos Estados da região é a Iniciativa de Paz Árabe, proposta inicialmente pela Arábia Saudita durante um encontro da Liga Árabe em Beirute, em 2002.

Com essa iniciativa, os países Árabes normalizariam suas relações com Israel em troca de uma retirada total dos territórios ocupados e de uma compensação justa para os refugiados palestinos.

O chefe da Liga Árabe também disse que a organização de 22 países membros deveria começar a falar com o Irã, para tratar da preocupação, especialmente forte entre os vizinhos do Golfo Pérsico, sobre seu programa nuclear.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG