Liga Árabe e UE reivindicam resultados palpáveis no processo de paz palestino

Viena, 16 abr (EFE).- O secretário-geral da Liga Árabe, Amre Mousa, reivindicou hoje em Viena que resultados palpáveis sejam produzidos já no processo de paz no Oriente Médio e pediu a Israel que elimine seus assentamentos em território palestino.

EFE |

O diplomata egípcio fez estas declarações em entrevista coletiva, minutos antes de iniciar um encontro com a ministra de Assuntos Exteriores da Áustria, Ursula Plasnik, durante a visita de trabalho que realiza ao país.

Para Mousa, conferências como a realizada em Annapolis (EUA), em novembro passado, serviram para recuperar um processo de paz que, segundo ele, "tinha retrocedido nos últimos anos". Ele completou, no entanto, que desde então outros avanços não foram produzidos.

Por sua vez, Plasnik disse acreditar que o ano de 2008 será um "ano de resultados" para o processo de paz e ressaltou a necessidade de se efetuar mudanças positivas "que possam ser sentidas pela população local".

Mousa também lembrou que a iniciativa para conseguir uma solução ao conflito continua vigente na Liga Árabe - o que significa conseguir um Estado palestino com capital em Jerusalém, e afirmou que o conflito entre o mundo árabe e Israel "deve acabar".

Para o dirigente árabe, Israel não mostrou indícios de querer avançar na negociação para desmantelar alguns dos assentamentos.

Mousa também declarou que a segurança no arco mediterrâneo está intimamente ligada com a situação no Oriente Médio e destacou o importante papel da UE nesta zona.

O ex-ministro de Assuntos Exteriores egípcio defendeu a necessidade de a região ficar livre de armas nucleares assim como todos os demais países da zona.

Sobre o Irã e seu conflituoso programa nuclear, Mousa indicou que o país é "um vizinho do mundo árabe e não um inimigo" e apostou na negociação para solucionar os pontos em desacordo.

Mousa destacou que o Oriente Médio "não precisa de nenhum programa atômico militar", mas defendeu o direito de usar a energia nuclear com fins pacíficos.

O diplomata afirmou haver tratado destes assuntos em reunião ontem com Mohamed ElBaradei, diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e destacou seu papel como "observador" da não-proliferação nuclear na região.

A ministra austríaca ressaltou a importância de uma boa cooperação entre a Liga Árabe e a UE, e lembrou que ambas as entidades, que reúnem um quarto de todos os Estados-membros das Nações Unidas, precisam enfrentar juntas os desafios para conseguir mais estabilidade e segurança em suas respectivas regiões. EFE as/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG