Sirte (Líbia), 26 mar (EFE).- O secretário-geral da Liga Árabe, Amre Moussa, condicionou hoje as negociações indiretas com Israel à anulação do plano hebraico de construir 1.

600 assentamentos em Jerusalém Oriental.

Em declarações aos jornalistas após a reunião de ministros de Exteriores preparatória da cúpula deste fim de semana na cidade líbia de Sirte, Moussa afirmou que a posição da organização pan-árabe "é muito clara".

"As negociações dependem do congelamento da colonização e em particular da anulação da decisão israelense de construir 1.600 assentamentos em Jerusalém Oriental", afirmou e explicou que a cúpula da Liga Árabe adotará uma resolução sobre as negociações indiretas entre israelenses e palestinos.

As declarações de Moussa acontecem depois que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, descartou qualquer mudança em sua política de assentamentos em Jerusalém.

Os 22 países-membros da Liga Árabe acertaram na quinta-feira aumentar o apoio aos palestinos de Jerusalém de US$ 150 milhões para US$ 500 milhões.

Durante a cúpula de Sirte espera-se que os chefes de Estado adotem uma decisão sobre a continuidade da denominada Iniciativa Árabe de Paz.

Esta proposta, adotada pela Liga Árabe na cúpula de Beirute de 2002 e ratificada na de Riad de 2007, oferece a Israel um reconhecimento de todos os estados árabes em troca de sua retirada dos territórios ocupados durante a Guerra dos Seis Dias, de 1967 - incluindo Jerusalém Oriental - e do reconhecimento do direito ao retorno dos refugiados de 1948. EFE fa-jg/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.