Lieberman desafia EUA e reitera oposição a fim de assentamentos

O chanceler israelense Avigdor Lieberman reiterou nesta quarta-feira sua oposição ao fim dos assentamentos judeus em territórios palestinos ocupados, durante uma entrevista à imprensa em Washington, ao lado da secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton.

AFP |

AP
Lieberman e Hillary concedem entrevista coletiva

Lieberman e Hillary concedem entrevista coletiva

"Não podemos aceitar a visão de um congelamento absoluto e completo da colonização", disse Lieberman a jornalistas, depois de uma reunião de uma hora com a secretária americana. "Não temos nenhuma intenção de modificar o equilíbrio demográfico da Judéia-Samaria", declarou utilizando o nome dado pela direita israelense à Cisjordânia.

Lieberman citou acordos informais feitos com o governo Bush que deixavam, segundo Israel, a porta aberta a novas construções nos limites atuais das colônias existentes. "Tínhamos estabelecido disposições com o governo anterior e tentamos manter esta direção", disse.

"O primeiro-ministro falou de tudo isto", lembrou Lieberman, referindo-se ao discurso de domingo do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, que citou pela primeira vez a hipótese de um Estado palestino, sem aceitar o congelamento total da colonização pedido pelo presidente americano Barack Obama.

Com sua posição, Lieberman desafiou abertamente Hillary Clinton, que havia feito um apelo recente ao fim da colonização. A chefe da diplomacia americana, que parecia tensa ao lado de Lieberman, reiterou sua posição.

"Queremos que a colonização pare", declarou. "Achamos que é uma parte importante, e mesmo essencial, nos esforços destinados a um acordo de paz global e à criação de um Estado palestino vizinho ao Estado judeu, com fronteiras e futuro seguros".

Leia também:


Leia mais sobre assentamentos na Cisjordânia


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG