Líderes reunidos em Paris lançam União pelo Mediterrâneo

Os chefes de Estado de 43 países da Europa, norte da África e Oriente Médio estão reunidos na capital francesa, Paris, neste domingo em uma reunião de cúpula que lançará a União pelo Mediterrâneo (UPM). A formação do novo bloco, uma iniciativa liderada pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, tem o objetivo de incrementar a cooperação entre os países integrantes e encontrar soluções para questões como imigração e poluição.

BBC Brasil |

União Européia
Mas a proposta está sendo recebida com reservas por alguns países da União Européia, especialmente pela Alemanha.

O presidente da Líbia, Muammar Kadhafi, se recusou a participar do encontro de Paris dizendo que o novo bloco é um plano para minar a unidade árabe e africana.

Há ainda preocupações na Turquia de que sua própria intenção de integrar a União Européia acabe prejudicada com a formação do novo bloco.

Mas a iniciativa foi bem recebida por países com filosofia pragmática como Egito e Marrocos, que a encaram como uma oportunidade para atrair investimentos estrangeiros que pode criar empregos para milhões de desempregados em seus territórios, de acordo com o correspondente da BBC no Cairo, Magdi Abdelhadi.

Direitos Humanos
Grupos de defesa dos direitos humanos que são críticos aos governos árabes também manifestaram preocupação com o novo bloco.

Eles dizem que a nova organização não obriga os dirigentes árabes a introduzir reformas democráticas genuínas ou melhorar seu desempenho na área dos direitos humanos.

Críticos da UPM dizem também que a organização vai dar ao Estado judaico um reconhecimento de facto pelos árabes enquanto Israel ainda ocupa terras palestinas e continua tecnicamente em guerra com outros integrantes do novo bloco, como Síria e Líbano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG