Líderes progressistas se reúnem no Chile para discutir idéias sobre a crise

Líderes de centro esquerda como o primeiro-ministro britânico Gordon Brown, o vice-presidente americano Joe Biden, Lula e vários líderes latino-americanos se reunirão no Chile no próximo sábado para discutir de que maneira as políticas progressistas que defendem podem enfrentar a crise financeira, poucos dias antes da reunião do G20 em Londres.

AFP |

A reunião anual de Líderes Progressistas, que pela primeira vez acontece em um país da América Latina, também contará com a presença do presidente uruguaio, Tabaré Vásquez, e das presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e do Chile, Michelle Bachelet.

O primeiro-ministro da Noruega, Jens Stolnberg, e cerca de 200 intelectuais, ministros de Estado e assessores governamentais da Itália, Alemanha, Holanda, Espanha, Austrália, Canadá e Grécia, entre outras nações, participarão da cúpula, que acontecerá em um hotel de Viña del Mar, balneário 120 km a oeste de Santiago.

O encontro será precedido pelo seminário "Resposta a uma crise global: em direção a um futuro progressista", organizado pelo centro de estudos Policy Network, onde intelectuais ligados às idéias progressistas debaterão formas de abordar a atual crise financeira global.

Após anos de hegemonia do neoliberalismo e do 'laissez-faire' na organização dos mercados, a crise trouxe à tona mais uma vez manifestos sobre a necessidade de regulação dos mercados, além de um papel mais ativos dos Estados, afirma o texto de apresentação do seminário.

"Os governos progressistas de todo o mundo devem aproveitar a oportunidade que a crise trouxe. Eles precisam definir e promover um novo modo moderno de pensamento social democrata, capaz de transformar a política de nosso tempo", indica o comunicado.

"Neste momento, as idéias progressistas exigem também uma revisão das políticas de centro-esquerda (...), reconhecendo a relação complexa entre a justiça social, a necessidade do dinamismo econômico e o crescimento, assim como o desenvolvimento sustentável", acrescenta.

A reunião em Viña del Mar acontece apenas cinco dias antes do encontro do G20 em Londres, no qual os líderes mundiais tentarão encontrar uma saída conjunta para a maior crise econômica desde a Segunda Guerra Mundial.

O Grupo, fundado em 1999 após as crises na Ásia e na Rússia, reúne os principais países ricos e emergentes, entre eles Brasil, Argentina e México, representando a América Latina.

pa/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG