Líderes progressistas destacam necessidade de evitar crise social

A declaração final da Reunião de Líderes Progressistas, encerrada neste sábado no balneário chileno de Viña del Mar, destacou que o grupo político discutiu a necessidade de evitar que a recessão econômica se transforme em uma recessão social. Segundo o documento, isso será possível com políticas que possibilitem retomar o crescimento da economia, reforcem a proteção social e estimulem a geração de emprego.

BBC Brasil |

O documento destaca ainda que é preciso evitar "políticas protecionistas e concluir com sucesso a Rodada Doha (de liberalização de comércio mundial)".

O texto de nove parágrafos confirma os temas que já haviam sido abordados pelos líderes neste encontro e que deverão ser discutidos na reunião do G20, quinta-feira, em Londres. A reunião do G20 "é vista (pelo grupo) como excelente oportunidade" para dar resposta "efetiva" à crise.

O documento foi chamado "declaração da presidência da reunião de cúpula progressista" e foi divulgado pelo governo chileno pouco depois do fim do encontro, que contou com a participação dos presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, da Argentina, Cristina Kirchner, do Uruguai, Tabaré Vázquez, e também do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, do vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e do chefe do governo espanhol, José Luiz Rodríguez Zapatero.

Segundo fontes da organização, foi tomado o cuidado de não atribuir o texto à "declaração conjunta", como era esperado, já que Biden, único vice presente, deveria antes consultar o presidente Barak Obama e as bases políticas que os apoiam.

Além da defesa de um crescimento "sustentável", os líderes progressistas ressaltaram, durante a reunião, a necessidade de "reformar" as instituições financeiras e ampliar a regulamentação deste setor.

O texto ressalta que a crise econômica internacional, a situação do meio ambiente e as "graves consequências sociais" (geradas pela turbulência econômica e a mudança do clima) necessitam de "ação urgente" dos governos.

"Uma recuperação verde, com resposta rápida coordenando com as mudanças climáticas e a expansão dos investimentos em energias limpas" é necessária, diz o documento.

O texto termina com a afirmação de que os líderes reiteraram compromisso "com os valores progressistas enraizados numa história de liberdades, de liberdade econômica, de direitos humanos, democracia de justiça social".

Este foi o sétimo encontro dos "líderes progressistas" - setor político criado em 1999 e que, pela primeira vez, realizou reunião num país da America Latina.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG