CAIRO - Dirigentes palestinos divulgaram um comunicado de cinco pontos no qual detalham os acordos adotados após uma reunião realizada nesta quinta-feira entre todos os grupos para estabelecer as bases para a reconciliação palestina.

O comunicado final foi lido pelo dirigente do Fatah, Ahmed Qorei, que concedeu uma entrevista coletiva na capital egípcia acompanhado de outros dirigentes palestinos.

No texto, os líderes agradecem o papel assumido pelo Egito em favor do diálogo palestino, e reafirmam que as conversas são necessárias para superar as divisões entre os grupos e começar um novo capítulo de reconciliação.

Os dirigentes estabeleceram cinco comissões que ficarão encarregadas de criar um governo de união nacional; analisar os problemas vinculados aos serviços de segurança palestinos e buscar a reforma dos diferentes órgãos; e reformar instituições como a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

As duas últimas deverão fixar as bases para as próximas eleições presidenciais e legislativas, que serão realizadas dentro dos marcos legais; e de estender o espírito da reconciliação nacional e fomentar o entendimento, a tolerância e a democracia entre os grupos palestinos.

Ficou definido que os membros destas comissões serão nomeados por representantes das distintas facções palestinas e por independentes, e que começarão a trabalhar em 10 de março, em uma tarefa prevista para terminar antes do fim deste mesmo mês.

Os dirigentes acertaram a libertação de todos os detidos políticos palestinos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, e aceitaram interromper estas detenções.

Eles também decidiram evitar as trocas de acusações entre os diferentes grupos através da imprensa.

Leia mais sobre palestinos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.