Líderes libaneses pedem maior solidariedade árabe com Gaza

Beirute, 5 jan (EFE).- Os líderes libaneses pediram hoje uma maior solidariedade árabe para pôr fim à tragédia palestina e condenaram mais uma vez Israel por sua ofensiva militar na Faixa de Gaza.

EFE |

"A solidariedade árabe é o único mecanismo que pode pôr fim à tragédia da Faixa de Gaza", afirmou o presidente do Líbano, Michel Suleiman, que também pediu uma cúpula árabe para analisar os ataques israelenses.

Esta cúpula foi pedida por vários países da região, mas a Liga Árabe decidiu em 31 de dezembro que só se reunirá ao mais alto nível se o Conselho de Segurança da ONU não conseguir parar a ofensiva militar de Israel.

O líder libanês não excluiu que Israel prepare um cenário para arrastar o Líbano em uma nova espiral de violência.

No entanto, ao mesmo tempo se mostrou tranqüilo com o fato de que "o Líbano conseguiu resistir ao inimigo israelense e vencê-lo (...) e poderá manter a coesão em nível interno, embora a roda se movimente lentamente".

Já o chefe do Parlamento libanês, Nabih Berri, disse que a atual situação em Gaza "não é resultado da força de Israel, mas da fraqueza e das divisões existentes entre os árabes".

Para o primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, é primordial que se decrete um cessar-fogo em Gaza, além do fim do cerco à Faixa palestina e da abertura das passagens fronteiriças.

Segundo Siniora, a ofensiva terrestre israelense contra Gaza "não garantirá a segurança que Israel deseja, e apenas agravará o sofrimento do povo palestino e prejudicará sua causa".

"Aparentemente, Israel não aprendeu a lição de seu fracasso em 2006", acrescentou o premiê, em alusão ao conflito contra o Hisbolá em que não conseguiu atingir nenhum dos objetivos que tinha fixado.

EFE ks/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG