Líderes hispânicos pedem compromisso do Partido Democrata

Paco G. Paz.

EFE |

Denver (EUA), 27 ago (EFE).- Líderes hispânicos pediram hoje aos delegados democratas em Denver que se posicionem sobre os temas que mais preocupam atualmente a comunidade latina, como a imigração, a educação e a saúde.

Estes temas, junto com os direitos civis, a economia, e a responsabilidade governamental, fazem parte de um relatório que a Agenda Nacional da Liderança Hispânica (NHLA, na sigla em inglês) apresentará tanto na Convenção Democrata como na republicana para buscar o compromisso de seus respectivos líderes.

John Trasviña, o presidente desta coalizão que reúne 26 organizações hispânicas do país, disse à Agência Efe que, em uma primeira leitura, o documento foi "recebido positivamente pela maioria dos delegados democratas".

O presidente da NHLA destacou que sua missão nas duas convenções será de "informar aos delegados e aos líderes dos dois partidos as inquietações da comunidade hispânica, já que o caminho à Casa Branca tanto para o senador Barack Obama como para o senador John McCain passa pelo voto latino".

"Independentemente de quem for eleito, o novo presidente dos Estados Unidos terá a responsabilidade junto com o Congresso de obter avanços para a comunidade hispânica", afirmou.

Trasviña lembrou ainda que a coalizão "não apóia publicamente nenhum candidato, mas quer que os partidos e os próprios candidatos mostrem seu compromisso com as prioridades da comunidade latina".

Ao longo de seis grandes temas, o relatório reflete, segundo o presidente da NHLA, "as necessidades e as aspirações dos latinos nos EUA", que atualmente representam 15% da população do país.

A imigração aparece como um dos temas mais urgentes para este grupo, já que 37% dos cerca de 50 milhões de hispânicos nos EUA são nascidos fora do país.

A coalizão espera que os novos órgãos de Governo iniciem uma reforma imigratória, e que estabeleçam leis e políticas de respeito aos direitos humanos e civis.

"O voto latino está sendo intensamente procurado pelos dois partidos, em razão da decisiva margem de eleitores hispânicos em diversos estados importantes nas presidenciais de novembro", disse Trasviña.

Redigido a cada quatro anos antes das presidenciais dos EUA, o documento expõe pela primeira vez a posição deste conjunto de organizações sobre as guerras do Iraque e Afeganistão.

"Um grande número de hispânicos, cidadãos americanos ou não, perdeu a vida ou voltou ferido destas guerras, por isso a NHLA pede o fim destes conflitos da maneira que seja melhor para os interesses do país e da nossa comunidade", afirmou.

Nesta mesma linha, Michelle Obama, esposa do candidato democrata, Barack Obama, lembrou hoje em uma conferência com representantes hispânicos que "a comunidade latina é crucial nestas eleições".

A esposa do senador de Illinois assegurou ainda que o Partido Democrata precisa do voto hispânico.

Michelle Obama ressaltou como o Partido Democrata está devolvendo a esperança a muitos americanos que pela primeira vez em suas vidas poderão votar. EFE ag/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG