Líderes europeus demonstram satisfação com suspensão de escudo antimísseis

Bruxelas, 17 set (EFE).- Os líderes dos principais países da União Europeia (UE) receberam hoje com satisfação a suspensão dos planos dos Estados Unidos de instalar um escudo antimísseis na Polônia e na República Tcheca.

EFE |

Para a chanceler alemã, Angela Merkel, é uma decisão "que traz esperança", enquanto o presidente francês, Nicolas Sarkozy, a considerou "excelente".

O primeiro-ministro tcheco, Jan Fischer, afirmou ao chegar à cúpula informal de chefes de Estado e Governo da UE que a decisão "não é razão para uma mudança nas relações com os EUA, que estão em um nível perfeito".

Para Fischer, esta "reconsideração de prioridades na política dos EUA" terá um impacto nas relações entre Rússia e Europa.

Sarkozy também disse que a mudança de planos foi "extremamente sábia" e afirmou confiar em que a Rússia, que se opunha à instalação do escudo, saberá apreciá-la.

"É uma excelente decisão de todos os pontos de vista, e espero que nossos amigos russos sejam conscientes da importância desta decisão", declarou o presidente francês em entrevista coletiva concedida após a cúpula.

Segundo Sarkozy, o cancelamento dos planos da Administração de George W. Bush representará um avanço nas relações entre Rússia, EUA e UE.

Por sua vez, Merkel disse que o anúncio americano "é um sinal que traz esperança para superar as dificuldades com a Rússia em relação a uma estratégia comum para lutar contra a ameaça iraniana", afirmou.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, afirmou que apoia "com firmeza" a decisão, que para ele é um exemplo de como "a confiança entre as nações aumentou".

A decisão do Governo americano de abandonar o projeto de um escudo antimísseis no leste da Europa se deve a uma mudança em sua percepção da ameaça representada pelo Irã, justificou hoje o secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates.

Segundo Gates, os serviços de inteligência americanos consideram que os mísseis de curto e médio alcance do Irã representam uma ameaça maior do que os de longo alcance. EFE met/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG