Líderes do leste da África elogiam ação de tropas etíopes na Somália

Nairóbi, 29 out (EFE) - Os líderes de sete países do leste da África pediram que as tropas etíopes que apóiam o Governo federal de transição permaneçam na Somália até que a situação melhore, em reunião encerrada hoje em Nairóbi.

EFE |

O apoio às tropas foi dado pelos governantes de Etiópia, Meles Zenawi; Quênia, Mwai Kibaki, Uganda, Yoweri Museveni; Djibuti, Ismail Omar Guelleh; Somália, Abdullahi Yousef Ahmed; e Burundi, Pierre Nkurunziza; além do vice-presidente do Sudão, Salva Kiir Mayardit.

Os líderes participavam de uma cúpula da Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (Igad) do leste da África, que lembrou a função das tropas etíopes na expulsão da União das Cortes Islâmicas (UCI) de Mogadíscio, em dezembro de 2006.

No evento também foram ouvidas críticas ao Governo federal de transição da Somália, o qual Zenawi, que ocupa a Presidência temporária da Igad, disse que "fracassou".

"É admirável como as tropas etíopes cumpriram seu compromisso, apesar das condições adversas", expressam em comunicado divulgado pela Igad, que também lembra a atuação da força da União Africana (UA), formada por soldados de Uganda e Burundi.

A reunião ocorreu depois que, no fim de semana passado, o Governo de transição e vários grupos da Aliança para a nova Libertação da Somália (ARS) assinassem um novo acordo de paz que prevê a retirada das tropas etíopes, que começaria em novembro e finalizaria em 120 dias.

A Igad também criticou a pouca atenção da comunidade internacional à Somália, onde hoje pelo menos 45 pessoas morreram em cinco atentados suicidas com explosivos cometidos de forma simultânea no norte do país. EFE pa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG