LIMA (Reuters) - Os líderes presos da violenta insurgência peruana Sendero Luminoso, Abimael Guzman e sua noiva, iniciaram uma greve de fome na terça-feira para exigir que o governo permita a realização da cerimônia de casamento do casal. Guzman, 75 anos, quer se casar com sua parceira de duas décadas, Elena Yparraguirre. Ambos estão cumprindo uma sentença de prisão perpétua em penitenciárias diferentes perto da capital peruana, depois de serem condenados por comandar um dos movimentos guerrilheiros mais violentos da América Latina.

"Abimael Guzman e eu começamos uma greve de fome à meia-noite", disse Yparraguirre à rádio RPP. "O governo deve parar de colocar obstáculos para impedir nosso casamento -- não nos permite ir ao cartório, ao tabelião, ou realizar exames médicos para o casamento, nada."

Maoistas veementes, eles lançaram uma guerra contra o Estado em 1980, desencadeando um período de profunda instabilidade social nos 20 anos seguintes que levou à morte de 69 mil pessoas, segundo uma comissão do Peru.

Yparraguirre também disse que o governo proibiu o casal de se encontrar, apesar de outros prisioneiros no Peru terem o direito de receber visitas conjugais.

O governo disse que eles são terroristas perigosos e que transportar qualquer um deles pelas ruas de Lima para um encontro poderia causar uma dor de cabeça à segurança.

(Reportagem de Patricia Velez e Enrique Mandujano)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.