Washington, 26 fev (EFE).- Mais de 50 líderes democratas da Câmara de Representantes dos Estados Unidos pediram hoje ao presidente Barack Obama que renegocie os tratados comerciais com México e Canadá (NAFTA) e com a América Central e a República Dominicana (CAFTA-DR).

O grupo de 54 legisladores, entre eles apenas um republicano, enviou nesta quinta-feira uma carta a Obama na qual reiteraram sua oposição ao Tratado de Livre-Comércio (TLC) com Colômbia, Panamá e Coreia do Sul, e pediram um replanejamento da agenda comercial dos EUA focada na proteção dos trabalhadores americanos.

"A correção de nossos erros do passado na política comercial e de globalização e a busca por um novo caminho podem ajudar nossa nação a enfrentar os grandes desafios econômicos", disse o congressista Mike Michaud, um dos fundadores do Grupo de Trabalho sobre o Comércio da Câmara de Representantes.

Segundo os legisladores, os EUA precisam de novas políticas de comércio e globalização que estejam a serviço dos trabalhadores, consumidores, agricultores e empresas americanas.

Os congressistas disseram que a ideia é de que essa reforma da política comercial permita que os americanos desfrutem da expansão do comércio, além de corrigir as "consequências negativas" da globalização na economia, no meio ambiente, na segurança e na saúde pública nos Estados Unidos.

A prosperidade e segurança dentro e fora do país dependem de uma política comercial centrada na criação e preservação de empregos nos EUA, no estímulo de um desenvolvimento sustentável e equilibrado no mundo e no esforço do Governo para resolver os encarar os desafios econômicos e climáticos, além de outros problemas, afirmaram os legisladores.

O grupo pede ainda uma retificação da "fracassada" relação comercial entre EUA e China, melhorias na segurança das importações, e a renegociação do NAFTA e do TLC com a América Central e República Dominicana (CAFTA-DR).

Além disso, os legisladores pedem que o Governo busque um consenso para "um novo modelo (comercial) antes de considerar futuros acordos".

Também pediram uma "transformação" da agenda para as negociações da Rodada de Doha, para que esta cumpra as metas da Administração democrata. EFE mp/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.