La Paz, 15 mai (EFE) - Os líderes de Santa Cruz, na Bolívia, avançaram hoje em seu processo autonomista ao instituir uma Assembléia Legislativa transitória e mudar o título de governador regional pelo de governador e o nome de Prefeitura por Governo Departamental Autônomo. O agora governador de Santa Cruz, Rubén Costas, anunciou essas decisões em um ato nas instalações da antiga Prefeitura de Santa Cruz, enquanto, desde La Paz, o Governo de Evo Morales desqualificou o que chamou de show dos líderes da província limitado à mudança de nomes de entidades. Os dirigentes de Santa Cruz justificaram suas decisões no apoio de 85% recebido pelo estatuto autônomo da região no referendo realizado em 4 de maio, mas cujos resultados não foram reconhecidos pelo Governo Morales. A Assembléia transitória é formada pelos 23 membros do já existente conselho departamental, mais cinco representantes dos povos indígenas de Santa Cruz. A instituição funcionará provisoriamente, até a realização de eleições legislativas regionais em 90 dias. Costas disse que estes passos não são só mudanças de nomes, mas reformas transcendentais, como a inclusão de líderes dos povos indígenas na agora chamada Assembléia Legislativa. Em seu discurso, a autoridade regional também anunciou que apresentará a essa nova entidade três projetos de lei, um para convocar para um diálogo departamental, outro sobre transparência e acesso à informação e o do conselho econômico e social. ...

A mudança oficial do nome do governador regional ao de governador não implicará em uma mudança de funções em Costas nem se criará uma nova, acrescentou Dabdoub.

De sua parte, o vice-ministro de Descentralização, Fabian Yaksic, qualificou de "show" as decisões anunciadas em Santa Cruz e disse que estão fazendo "pouco favor ao processo autônomo", o qual, em sua opinião, deve ser impulsionado.

"O governador regional Rubén Costas, embora queria se chamar de governador, vai continuar sendo o governador regional do departamento até que não haja uma modificação da Constituição Política do Estado", afirmou Yaksic ao insistir em chamar ao diálogo com todos governadores regionais para gestar um "pacto autônomo".

EFE ja/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.