Líderes de igreja jamaicana pedem proibição de cassinos no país

KINGSTON, Jamaica - Líderes religiosos jamaicanos se uniram nessa segunda-feira para pedir que legisladores do país rejeitem o plano do primeiro-ministro Bruce Golding de ampliar o recolhimento de impostos ao autorizar os primeiros cassinos da ilha caribenha.

AP |

Permitir cassinos na ilha aumentaria os vícios, ameaçaria os valores sociais e arruinaria famílias, disse o reverendo Henley Bernard, da Igreja Unida da Jamaica e Ilhas Caymman.

"É incrível que as pessoas responsáveis pela administração desse país pensem em introduzir uma atividade que leva ao aumento do índice de criminalidade, violência e degradação moral", disse Bernard.

Golding afirmou no mês passado que aprovou a proposta de um grupo de investidores internacionais de construir o primeiro cassino da Jamaica na principal destinação turística do país, a praia de Montego - aumentando assim o recolhimento de impostos direcionado à saúde, educação e segurança.

O Parlamento irá considerar o projeto de lei nas próximas semanas. Os legisladores não comentaram o assunto, mas líderes religiosos conseguiram impedir outras tentativas similares e prometem lutar contra a proposta de Golding.

"Nós pedimos que a nação adote novos valores e atitudes como em um novo começo", disse o reverendo Peter Garth, presidente da Associação Evangélica da Jamaica.

A Jamaica, nação de quase 3 milhões de pessoas, até o momento permite apenas pequenas máquinas caça-níquel no saguão de hotéis. A proposta de Golding permitiria que cassinos pedissem licenças caso seus planos incluíssem no mínimo US$1.5 bilhões em investimentos na área e hotéis com pelo menos mil quartos.

    Leia tudo sobre: cassino

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG