Líderes da UE pedem cautela com lei que ampliará jornada de trabalho

Bruxelas, 20 jun (EFE) - Os governantes dos 27 países que formam a União Européia (UE) pediram hoje um acordo final equilibrado sobre a reforma da polêmica norma que ampliará a jornada de trabalho nos Estados-membros do bloco, ainda pendente do voto do Parlamento Europeu (PE).

EFE |

Há pouco mais de uma semana foi firmado o acordo para ampliar os limites da jornada de trabalho, de modo que um funcionário possa trabalhar até um máximo de 65 horas semanais, se assim acordar com o empregador.

O acordo foi muito criticado pelos sindicatos europeus e por alguns países.

Em suas conclusões, os líderes europeus pediram ao Conselho e ao Parlamento Europeu que resolvam essa pendência antes do final da legislatura, que terminará no primeiro semestre de 2009, assim como o da regra aplicável aos trabalhadores cedidos pelas empresas de trabalho temporário.

Os sindicatos europeus já anunciaram que farão o possível para que o Parlamento emende a regra sobre Tempo de Trabalho, a qual, em sua opinião, supõe um "retrocesso" para a Europa social. EFE mb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG