Líderes da UE continuam hoje com debates sobre Tratado de Lisboa

Bruxelas, 20 jun (EFE).- Os líderes da União Européia continuarão hoje com seus debates sobre as conseqüências da rejeição irlandesa ao Tratado de Lisboa e da escalada dos preços do petróleo e dos alimentos.

EFE |

No segundo e último dia de sua cúpula semestral, os 27 países-membros do bloco tentarão acertar um texto comum com conclusões sobre a crise iniciada após o fracasso da ratificação do novo tratado na Irlanda, algo que foi impossível no jantar de ontem à noite, devido às reservas da República Tcheca.

A atual Presidência eslovena do bloco descartou ontem a possibilidade de fixar prazos para que a Irlanda apresente propostas de solução ou para que os países que ainda não ratificaram o texto concluam o procedimento.

"É certo que não haverá nenhum prazo limite, nem para a Irlanda nem para ninguém", afirmou ontem à noite o primeiro-ministro esloveno, Janez Jansa, em mensagem destinada à República Tcheca.

A cúpula informal de chefes de Estado e Governo da UE, que será realizada na França, nos dias 15 e 16 de outubro, será, segundo vários dirigentes, a oportunidade para a Irlanda começar a propor soluções para o impasse.

O presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, advertiu que os sete países que ainda não ratificaram o Tratado de Lisboa "devem fazê-lo".

Além disso, Barroso considerou "totalmente inaceitável" que um país firme um tratado sem a intenção de ratificá-lo, e por isso mostrou sua confiança de que "todos" ratificarão o Tratado de Lisboa.

O primeiro-ministro tcheco, Mirek Topolanek, declarou que tentará "convencer com bons argumentos" o Senado de seu país, do qual depende a ratificação, mas avisou que não vai "forçar a ninguém a votar a favor ou contra". EFE jms/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG