Líderes da Moldávia e da Transnístria se reúnem pela primeira vez em 7 anos

Moscou, 11 abr (EFE).- O presidente da Moldávia, Vladimir Voronin, e o da região separatista região da Transnístria, Ígor Smirnov, se reuniram hoje pela primeira vez após um vácuo de mais de sete anos, informou a agência oficial russa Itar-Tass.

EFE |

A reunião, concentrada no acerto do conflito da Transnístria, transcorre na cidade fronteiriça de Benderi, disse à agência o chefe da diplomacia da região independentista, Valeri Litskay, que preparou a reunião junto com o ministro de Reintegração da Moldávia, Vasile Shova.

O Governo da Moldávia confirmou a reunião ente os dois líderes, estipulada na segunda-feira passada em uma conversa telefônica para retomar o processo de negociação interrompido em março de 2006.

O objetivo do encontro, realizado a portas fechadas e sem a presença da imprensa, é "abordar as iniciativas do presidente moldávio para aumentar a confiança mútua", diz uma nota oficial de Chisinau.

As consultas entre os dois líderes se interromperam em 2002 por iniciativa de Voronin, que qualificou os encontros com Smirnov de "improdutivos".

Voronin anunciou no último domingo que analistas moldávios preparam uma série de documentos para o acerto do litígio com a Transnístria, região de maioria russa e ucraniana que rompeu os laços com a Moldávia após um conflito armado (1992-93) no qual contou com ajuda russa.

O líder moldávio discutiu previamente estas propostas e as perspectivas de solução do conflito com o embaixador russo em Chisinau, Valeri Kuzmín.

Voronin defende que este plano seja discutido no formato 5+2 (Moldávia, Transnístria, OSCE, Rússia, Ucrânia, União Européia e Estados Unidos) por todos os participantes das negociações.

Desde o fim do conflito armado a Moldávia defende a integração dos dois territórios separados pelo rio Dniester e acusa a Rússia de promover a independência desta faixa.

Por outro lado, o líder separatista da Transnístria, no poder desde 1999, acusa a Moldávia de "tentar estrangular a economia" deste território. EFE se/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG